Óleo de coco extra virgem: fonte de saúde e beleza

Óleo de coco extra virgem fonte de saúde e beleza

Foto: divulgação

Não é segredo que a água de coco traz benefícios à saúde e é uma arma poderosa contra a desidratação. Mas é outro derivado da fruta que chegou ao Brasil recentemente com a promessa de uma vida mais saudável e emagrecimento que está dando o que falar: é o óleo de coco extra virgem.

De acordo com empresas especializadas, esse produto é extraído por meio de um processo que evita a oxidação dele e a consequente produção de colesterol "ruim" - LDL -, o que previne doenças cardiovasculares e cerebrais. "O óleo de coco extra virgem tem ação antioxidante, age na estrutura e funcionamento do sistema metabólico. Destaca-se pela regulação hormonal, melhora do sistema imunológico e produção de energia", afirmou a nutricionista Marina Rosalem, da Carduz, empresa que importa o óleo de coco da BARLEAN´S para o Brasil.

Os especialistas também afirmam que o óleo de coco tem o poder de regular as funções intestinais, tanto quando o intestino é mais "preguiçoso" como em casos de diarreia. Isso porque o produto contém o ácido láurico. "Por meio da monolaurina, o láurico ajuda a eliminar as bactérias patogênicas [inimigas], protegendo e favorecendo o crescimento da ‘flora amiga’", explicou a nutricionista.

Para a alegria das vaidosas de plantão, também existe a ação cosmética. Como o líquido lubrifica a pele, facilita que os nutrientes contidos no sangue cheguem até ela, numa ação contra o envelhecimento. Já o ácido láurico inibe o crescimento de bactérias na epiderme, prevenindo a acne, por exemplo.

Apesar de ser fonte de gorduras, o óleo de coco ajuda a emagrecer. Isso pelo tipo de gordura contida nele, os chamados triglicerídeos de cadeia média, que não necessitam de enzimas para sua digestão e metabolismo. Por isso, tais triglicérides são consideradas "termogênicas", ou seja, capazes de gerar calor e queimar calorias. "Esta propriedade, aliada a capacidade que o óleo de coco tem de estimular a glândula tireóide, aumenta o metabolismo basal e, consequentemente, emagrece", disse Marina.

Como o produto não é um medicamento, são raras as pessoas que não podem ingerí-lo. Em geral, o cuidado é o mesmo necessário com qualquer alimento: que o consumidor esteja atento aos componentes da fórmula, verifique se possui algum tipo de alergia a eles e que não adquira um produto de procedência duvidosa, com a data de validade vencida ou em más condições.

Quem faz uma dieta hipolipídica (com restrição de gorduras) deve começar ingerindo o óleo em pouca quantidade, para que o organismo se adapte, e só então aumentar gradativamente o consumo.


Ficou interessada? Então anote a orientação de Marina para se beneficiar do óleo de coco e aproveite: "A recomendação é consumir uma colher de sopa ao dia para alcançar os benefícios do óleo. Não existe tempo determinado, ele pode ser consumido durante toda a vida".

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente