O que comer antes e depois dos exercícios físicos?

O que comer antes e depois dos exercício

Praticar atividade física é muito importante para a saúde. Mas, para que os exercícios deem resultado, é preciso ter uma boa alimentação antes e depois. A nutricionista da Needs Academia, Priscila Serpa, afirma que o principal objetivo da refeição pré-exercício é o de ajudar a manter os ótimos níveis de energia para os músculos envolvidos no exercício.

Ela explica que o glicogênio é utilizado como ‘combustível’ inicial no exercício, e está relacionado com a ingestão de carboidratos antes do treino. "Priorize os alimentos ricos em carboidratos simples, como uma fatia de pão de forma ou francês, biscoitos simples sem recheio, bolo simples, barra de cereais, géis de carboidrato, uma fruta ou um copo de suco natural. E eles são absorvidos rapidamente e garantem a energia para a hora do exercício".

É importante a ingestão de carboidrato antes, durante e após o exercício, para restaurar os níveis musculares de glicogênio, pois uma diminuição de sua disponibilidade no organismo resulta em fadiga, queda no desempenho e perda de massa muscular.

Dra. Priscila alerta que se deve evitar iniciar um treino com o estômago totalmente vazio ou cheio, pois pode haver diminuição da performance e consequências desagradáveis como indigestão, náuseas e até vômitos. "Evite os alimentos ricos em proteína (queijo, carne, leite, iogurte), gordura (frituras, folheados, salgadinhos) e fibras (cereais como aveia e algumas frutas como laranja com bagaço e abacaxi), pois podem causar desconforto gastrintestinal por possuírem digestão mais lenta."

O consumo compulsivo de alimentos calóricos diante de episódios de ansiedade é muito comum e pode interferir na balança e ser prejudicial à saúde. Para combater essa ansiedade, nada melhor que mudar a rotina através da combinação da alimentação balanceada e da prática de atividades físicas. "O exercício faz com que ocorra um aumento na produção de serotonina, substância que promove bem-estar e o prazer, reduzindo cerca de 30% da ansiedade, minimizando assim, exageros e compensações emocionais na alimentação", orienta Dra. Priscila.

A nutricionista também aconselha os alimentos que são essenciais para ter uma vida mais saudável: "Precisamos manter uma ingestão equilibrada entre os macronutrientes - carboidratos (50-60%), proteínas (10-15%), lipídios (25-30%) e os micronutrientes (vitaminas, minerais e fibras), além do consumo de água, que deve chegar à oito ou 10 copos por dia", diz.

Para conseguir atingir todas essas recomendações é fundamental realizar de cinco a seis refeições por dia, manter uma ingestão diária de saladas, verduras e legumes, frutas variadas, cereais e grãos integrais, carnes magras (de preferência as brancas) e leguminosas (feijão, lentilha, grão de bico, soja). "Abuse das especiarias com poder antiinflamatório (curcuma, açafrão, alho, cebola, gengibre, castanhas, linhaça)", orienta a nutricionista.


E completa: "Sem dúvida, as pessoas não necessitam de preparações ricas em gorduras e açúcares (sorvetes, doces, biscoitos recheados, tortas, bolos e alimentos fritos imersos em óleo), embutidos (linguiça, salsicha, salame, presunto e frios no geral), álcool e refrigerantes, podendo com a exclusão, viver com muito mais saúde", afirma.

Por Caroline Belleze Silvi (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: ansiedade