Foodie - movidos apenas pelo sabor

Movimento Foodie

Foto/Reprodução Facebook

Se você nunca ouviu falar nesse termo, não se assuste. Vamos explicar pra você, com a ajuda da foodie Renata Damasio, mãe de dois filhos e blogueira, o que é, quando surgiu e do que se trata esse novo movimento!

O termo foodie foi criado em 1981, pelo escritor americano Paul Levy em seu livro "The Official Foodie Handbook" e se refere a qualquer pessoa que tem comida como um hobby. Os apaixonados por comida, pelo seu sabor, por cozinhar, estudar culinária, preparação de pratos e relacionados ao assunto podem se considerar parte desse movimento.

Antigamente a palavra utilizada para determinar um amante da cozinha era o "gourmet", mas o teor mudou e hoje em dia esse termo é relacionado aos apreciadores mais ‘mesquinhos’ da culinária, os que se importam com o preço e quantidade. Totalmente o contrário dos foodies, que se preocupam apenas com o sabor e qualidade!

Qualquer um pode ser um foodie. De acordo com a escritora Nicole Weston em "What is a foodie, anyway"(O que é um foodie, afinal) (2006), ela descreve dessa maneira: "Consideremos que foodies são amadores que simplesmente amam o alimento para consumo, estudo, preparo e notícias". A blogueira também fala: "Não temos nenhum preconceito com as coisas populares, pelo contrário, temos apenas preconceito com comida ruim e comida ruim, pode ser de um restaurante super caro ou de um lugarzinho barato".

Vemos aí a necessidade de estudar o que se come, pesquisar antes de ter qualquer refeição. Nunca que perguntaremos para um foodie "O que você está comendo?", que ele vai te responder com um "não sei".

E foi o aumento de pessoas com essa atitude que fez com que houvesse uma mudança brusca na mídia. Vemos a disseminação de programas culinários em canais da TV aberta e fechada, com reality shows de chefs e diversas receitas diárias. O surgimento de personalidades gastronômicas, como o famoso escritor e apresentador Anthony Bourdain, que viaja e tem seu próprio programa em que saboreia diferentes refeições ao redor do mundo. O comércio também não fica de fora: lojas e mais lojas especializadas em utensílios de cozinha emergiram. Assim como a mega onda de blogueiros e sites com receitas e textos sobre alimentação.

As pessoas que são adeptas ao movimento também não gostam de nada industrializado. Renata explica: "Um foodie curte cozinhar, ir atrás de comer bem então o legal é comprar ingredientes frescos, tentar fazer tudo do zero".

Foodie x Indie

Os foodies são muito comparados com os indies, apreciadores de música desconhecida. É uma relação bem pobre já que não tem muito em comum. Indie é um diminutivo para independent (independente), ou seja, esse movimento preza por todo tipo de música underground, que não está na mídia, que é desconhecido.


A única relação plausível entre os termos é que ambos estão sempre em busca da informação, da pesquisa de algo novo. Porém quando uma banda se torna conhecida por muitas pessoas, os indies têm a fama de descartá-las de suas playlists, enquanto que no foodie isso é de zero importância.

E então, se interessou pelo mundo dos foodies? Aqui vai um cardápio de dicas pra você explorar mais o assunto:

Alguns livros sobre o assunto (em inglês):

-Founding Foodies, preço avaliado em R$ 26,11

-Foodies Guide to Kitchen Magic, preço avaliado R$5,38

Por Alessandra Vespa (MBPress)

Comente