Fast food saudável

Fast food saudável

Salad Creations, Villa Lobos. Foto: divulgação.

No corre-corre do dia-a-dia, principalmente na hora do almoço, um dilema: escolher pratos ricos em nutrientes e vitaminas e perder tempo esperando que eles sejam preparados, ou optar por pratos ricos em gordura e carboidratos que não tomarão nem cinco minutos de espera? A falta de tempo para comer dá então as mãos à pressa e a solução é ir direto à fila do "pecado" do fast food!

Segundo a nutricionista Maria Cecília Corsi, da Essencial Light, em São Paulo, o número de pessoas que adquiriram, ao longo da vida, alguma doença crônica não transmissível, como obesidade, doenças coronarianas, diabetes tipo 2, entre outras, preocupa. "A má alimentação é apontada como um dos principais fatores que contribuem para esse aumento", afirma a especialista.

Por esse motivo, muitas redes alimentícias estão apostando, ao menos, em um prato saudável - e rápido - para seus consumidores. Já é possível ver em redes como McDonalds e Bobs lanches menos gordurosos e até opções de frutas e saladas.

Na mesma mão, redes como o Subway, por exemplo, apostaram de vez no bem estar e oferecem comida rápida mais saudável aos consumidores acelerados. "Nós fugimos da fórmula batata frita, hambúrguer e refrigerante. Não servimos frituras e estamos de olho no sódio também", conta Roberta Damasceno, gerente de operações da marca no Brasil.

Roberta analisa que o perfil do consumidor desse fast food saudável é bem diversificado. Vai desde o empresário que tem pouco tempo entre uma reunião e outra até os jovens preocupados com a forma.

A Salad Creations, rede especializada em saladas nas praças de fast food, que chegou recentemente no Brasil, mostra que o consumidor com pressa está mesmo mais interessado em alimentação saudável.

Criada no ano de 2004, na Flórida, a Salad Creations foi concebida para atender a enorme demanda da geração do bem estar, em busca de um estilo de vida saudável. Com foco de expansão no Brasil voltado preferencialmente para shoppings, business centers e ruas, a marca oferece cardápio com 40 ingredientes para saladas, wraps frescos, sopas, mini pães e cookies.

No Brasil a rede chegou em 2007, com a primeira loja inaugurada no Shopping Higienópolis, em São Paulo. Hoje, já conta com mais de 10 lojas espalhadas pelo Brasil, em São Paulo, Rio de Janeiro, Brasília e Salvador. E a meta inclui a abertura de 50 lojas no período de sete anos em território nacional.

Fast food saudável

Salada vegetariana do Subway. Foto: divulgação.

Segundo Cecília Gonçalves, Gerente de Expansão da Salad Creations, todas as redes de fast food nos próximos 5 anos irão se adaptar a esse novo consumidor. "Nosso faturamento é uma amostra de tudo isso, a cada mês nossas lojas aumentam o seu faturamento em mais de 5%. Nossa rede triplicou de tamanho de 2008 para 2009 e esperamos fazer isso mais uma vez este ano", conta Cecília.

Outra empresa que está investindo na onda saudável é a BioGourmet, que abriu o primeiro quiosque em novembro de 2009, no Shopping Nações Unidas, em São Paulo, oferecendo apenas produtos orgânicos. Depois, a coisa só cresceu. "Foram os próprios clientes que começaram a sugerir que a marca também oferecesse refeições e lanches rápidos e saudáveis, produzidos com alimentos 100% orgânicos", Paulo Vilela, sócio da empresa. "Em março, por exemplo, foram vendidas 400 unidades, com destaque para o frango com quinua e para a mousse de banana".

Paulo acredita que a saúde é mesmo uma preocupação mundial, tanto das autoridades quanto dos médicos, já que se gasta cada vez mais dinheiro público na contenção de doenças que podiam ser evitadas com alimentação saudável e exercícios físicos. "A BioGourmet espera fazer sua parte oferecendo ao consumidor um alimento de origem segura, produzido de forma sustentável, e que também auxilia o produtor a continuar plantando de forma orgânica, com respeito à terra e sem agrotóxicos".

O gerente de TI Raul Pinheiro da Silva se preocupa com o que come. "Sempre procuro algo mais saudável, quando posso", afirma. "Comer uma coisa mais leve facilita a digestão, é melhor para o dia a dia, ainda mais quando você fica fora de casa o dia inteiro, trabalhando e estudando", completa.

Para quem não sabe (ou faz de conta que não lembra), o consumo frequente de fast-food pode causar problemas sérios de saúde, afinal, segundo Maria Cecília, a maioria dos produtos comercializados pelas redes são riquíssimo em gorduras e açúcares e pobres em vitaminas, fibras e sais minerais.

"Esse tipo de consumo pode causar acúmulo de gordura nos vasos sanguíneos, doenças coronárias, obesidade, diabetes, síndrome metabólica e diminuir significativamente a qualidade de vida do indivíduo", aponta a especialista.


Ninguém está pregando uma placa de "Pare" em frente sua lanchonete preferida. Mas antes de entrar na fila, que tal dar chance para a boa nova do rápido e saudável?

Por Tissiane Vicentin (MBPress) e Karina Conde

Comente