Estudo alerta sobre os riscos dos alimentos adulterados

Estudo alerta sobre adulterações em alimentos

Foto Ambro/http://bit.ly/g43yMx

Pesquisadores da Universidade de Michigan analisaram 1.305 registros e publicações acadêmicas sobre fraude alimentar e publicaram, em abril, no Journal of Food Scienses, um estudo revelando os sete alimentos com mais chances de serem misturados com outros ingredientes ou de que seus nutrientes essenciais sejam retirados total ou parcialmente.

Conheça mais sobre eles abaixo:

Café - O pó pode vir misturado com milho, cevada e centeio em quantidades muito elevadas. Algumas marcas adicionam fubá e caramelo, com o objetivo de agradar os consumidores que preferem sabores mais doces. Em alguns casos, foi encontrado ainda madeira e até cascas de árvores na mistura. O risco da mistura de cereais ao café pode fazer com que perca seu valor nutritivo. O caramelo representa um perigo para os diabéticos, já as cascas de árvores podem desencadear reações alérgicas.

Leite - Nos Estados Unidos já foi encontrado água oxigenada e soda cáustica, para disfarçar o produto que sofreu falhas na origem, tornando o processo mais barato, porém causando oxidação das vitaminas A e E. O risco é absurdo: a contaminação do organismo por essas substancia causará prejuízos às funções orgânicas do indivíduo, que poderá desenvolver doenças gastrointestinais e até câncer.

Suco de Laranja - O órgão que controla alimentos e medicamentos nos Estados Unidos, o Food and Drug Administration, detectou a presença de fungicida nos sucos de laranja exportados pelo Brasil, o que aumenta as chances do produto aqui estar contaminado. O aditivo altera a flora intestinal e causa excesso de produção de enzimas hepáticas, prejudicando o funcionamento do fígado e do intestino.

Suco de Maçã - Os pesquisadores afirmam que a bebida pode ser contaminada com arsênio, xarope de milho e adoçante sintético. O primeiro é uma substância tóxica, que em doses muito altas torna-se um veneno extremamente perigoso. O xarope de milho altera a glicemia, sendo prejudicial aos diabéticos.

Mel - Os registros da pesquisa afirmam que um terço do mel comercializado nos Estados Unidos está potencialmente contaminado com xarope de milho, glicose e frutose. O mel é um alimento cheio de vitaminas, minerais e antioxidantes, que perde as duas propriedades com a adição dessas substâncias. Além disso, os açúcares acrescentados ao produto não possuem valor nutricional, contribuindo apenas para a obesidade.

Azeite - O alimento pode ser adulterado com óleos de milho, de avelã e de palma. Rico em ômega 3, se adulterado, o azeite perde todos os benefícios de ser uma gordura neutra, rica em flavonóides, que colaboram na longevidade.


Açafrão - Esse, que é um dos temperos mais caros do mundo, mas segundo a pesquisa, pode conter amido e gelatina em sua composição. O primeiro pode prejudicar os celíacos, enquanto os corantes artificiais podem desencadear reações alérgicas. O açafrão é rico em antioxidantes e ajuda nos processos inflamatórios do nosso organismo, mas com esses aditivos essa função fica perdida.

O ideal para manter uma alimentação saudável é mesmo optar pela forma mais natural possível de frutas e legumes e escolhendo produtos de qualidade, que tenham certificação dos órgãos de saúde responsáveis.

Por Carmem Sanches

Comente