Em 60 anos cintura da mulher aumentou 15 cm

Cinturinha de pilão nunca mais

Foto/Reprodução lilithezine.com

As mulheres sentiram o peso da modernidade. Uma pesquisa realizada pela empresa britânica Saga com 8.000 homens e mulheres revelou que a cintura das mulheres aumentou 15 centímetros da década de 1950 para cá, passando de 71 para 86 centímetros.

De acordo com o levantamento, as indesejáveis gordurinhas deram o ar da graça porque, há 60 anos, a mulher ingeria 1.818 calorias por dia. Hoje essa quantidade saltou para 2.178. Além disso, elas passaram a fazer menos exercícios domésticos, ficando mais tempo sentadas atrás de mesas de escritório.

Há seis décadas a mulherada queimava 1.000 calorias realizando tarefas do lar. "Limpar, lavar, subir e descer escadas, ou seja, essas atividades do cotidiano, têm um alto gasto calórico, o que favorece uma silhueta mais esbelta", comenta o personal trainer Robson Santos. "Imagine quantas calorias as mulheres gastavam para lavar as roupas de uma família inteira! Hoje é só colocar tudo na máquina de lavar e depois na de secar e pronto. Sobrou mais tempo para o sofá."

O profissional diz que nos dias atuais percebemos um acúmulo de gordura não somente na cintura, mas também na região do quadril e coxas. Para minimizar o problema, Robson indica atividades com características aeróbicas. "Subir e descer escadas, varrer um quintal ou a casa e limpar uma vidraça são ações que envolverem mais partes do corpo e, por isso, proporcionam um maior gasto calórico e queimam mais gorduras indesejadas."

Flávia Morais, coordenadora da área de nutrição da rede Mundo Verde, pensa que as atividades domésticas foram parcialmente substituídas por outras que também consomem calorias. Entre elas estão trabalhar fora e frequentar academias, algo mais comum atualmente do que há 60 anos. Ao mesmo tempo, ela lembra: o que também ajudou a matar o corpinho de violão da mulherada foram as escolhas alimentares.

"O aumento no consumo de ingredientes calóricos, processados, industrializados e de baixo valor nutritivo foi observado nas últimas décadas. O consumo de fast foods e de porções cada vez maiores de alimentos também se tornou comum", explica. "Esses alimentos associados a uma ingestão insuficiente de frutas, verdura e legumes são responsáveis pelo aumento de peso da população e de circunferência de cintura em homens e mulheres."

Lembrando que nosso corpo é o bem mais importante e que cuidar bem dele é o caminho certo para uma vida de saúde e sucesso. O personal trainer pensa que, diante de uma jornada tão pesada adotada pela mulher contemporânea, a solução é criar pequenos hábitos diários para colocar o corpo na ativa.

"Faça caminhadas de 15 a 20 minutos diariamente, leve o cachorro para passear, substitua a escada rolante e o elevador por uma escada fixa ou deixe o carro um pouco mais longe do seu destino e caminhe por alguns quarteirões. São pequenas mudanças, mas que farão muita diferença no final."

Flávia completa as informações de Robson e acredita que o acúmulo de gordura abdominal pode ser diminuído aliando a prática de atividade física à uma alimentação balanceada. Elas separou algumas dicas. Confira:

- Substitua os cereais refinados, de alto índice glicêmico, por cereais integrais;

- Evite os refrigerantes, o excesso de frituras e açúcares;

- Coma mais frutas, verdura e legumes;

- Tempere as refeições com azeite para aumentar a sensação de saciedade e ajudar a diminuir a quantidade de comida ingerida;

- Aumente o consumo de fibras presentes na semente de chia, linhaça, farelo de aveia;


- Aposte no abacate. Esta fonte natural de beta-sitosterol (substância que possui ações bactericida, antiviral, fungicida e anti-inflamatória) diminui o cortisol, hormônio relacionado ao acúmulo de gordura na região abdominal;

- Evite líquidos durante as refeições. Eles atrapalham a digestão e favorecem a distensão abdominal;

- Aposte no óleo de coco, cacau, gengibre e no chá verde, que são termogênicos e facilitam a queima de gordura, dando um impulso na perda de peso;

- Utilize o óleo de cártamo, pois tem mostrado bons resultados na redução de circunferência da cintura. Seu uso deve ser feito associado à boa alimentação e pratica regular de atividade física.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente