Dieta saudável - invista nas trocas inteligentes

Trocas inteligentes são melhores que dietas radica

Foto: FreeDigitalPhotos http://bit.ly/JHVdLe

Normalmente, quem quer perder peso já recorre ao radicalismo cortando diversos alimentos que está acostumado a ingerir diariamente, optando por uma dieta severa, na ânsia de obter resultados rápidos. Porém, nem sempre isso é preciso. Trocas inteligentes podem render melhores resultados na balança

Ao trocar alguns alimentos por outros similares e menos calóricos, será possível observar o resultado na balança já no primeiro mês. O melhor é que a troca de alimento feita sob orientação e bem equilibrada não compromete a saúde.

Manter o hábito de comer de tudo um pouco, fazendo trocas inteligentes faz parte do processo de reeducação alimentar; que sem dúvida, é o segredo do sucesso para quem quer emagrecer sem sofrer e sem recuperar o peso perdido (efeito sanfona), característico de quem vive fazendo as dietas da moda.

As dietas da moda são monótonas, desestimulantes, associadas a sofrimento e fome, muitas vezes privando as pessoas das atividades sociais, provocando nervosismo, maior perda de massa magra e a recuperação do peso rapidamente. Se mantida por muito tempo pode trazer prejuízos à saúde, como anemia, gastrite, hipoglicemia, flacidez e deficiências nutricionais.

A dieta saudável, possível de ser feita e que traz bons resultados, deve ser individualizada, flexível, versátil, associada ao bem estar e a satisfação, favorecendo a manutenção da massa magra, compatível com qualquer atividade social, adaptável à rotina diária. Além disso deve ser colorida, de baixo índice glicêmico, rica em fibras e pobre em açúcar, sal, gordura saturada e trans.

Não existe muito segredo, o ideal é comer de três em três horas para manter o metabolismo acelerado e de tudo um pouco para assimilar a maior variedade de nutrientes. Sempre levar em consideração também a forma de preparo (cru, cozido, assado e grelhado) e ingredientes utilizados na receita (quanto menos industrializados, melhor).

Não existe diferença significativa entre as calorias do pão de forma comum (branco) e do pão integral. No entanto, as versões integrais apresentam maior quantidade de fibras, que ajudam no bom funcionamento do intestino e promovem a saciedade por mais tempo.

Prefira o leite desnatado e queijos brancos. Todos são excelentes fontes de cálcio. O que difere, é que a versão integral do leite e os queijos amarelos, são ricos em gorduras e calorias. Iogurte light, desnatados ou probióticos são sempre bem vindos ao invés dos integrais ou os que contêm muito açúcar, calorias e poucos nutrientes como os do tipo flans. Os probióticos são microorganismos adicionados no alimento que, quando ingeridos, exercem efeitos benéficos para a saúde e equilibram a flora intestinal.

Biscoitos integrais: com a troca, você substitui a farinha refinada pela integral, consome menos açúcar, menos gordura e mais fibras quando comparados aos recheados e amanteigados.

Legumes in natura diante dos enlatados são mais saborosos e possuem menos sódio, boa alternativa para quem está de olho na pressão arterial.

É comum as pessoas acharem que os cereais não são engordativos. Porém não é bem assim! A maioria deles é feito exclusivamente com farinha refinada, que não contém fibras e aumenta mais rapidamente a glicemia, fazendo você sentir fome de novo mais rapidamente.

Procure pelas versões integrais, sem açúcar, ou pela aveia, cereal muito nutritivo, pouco calórico, de baixo índice glicêmico e funcional (previne a obesidade, o diabetes, doenças cardiovasculares e reduz o colesterol).


A batata frita tem três vezes mais calorias do que a cozida. O salmão é uma carne magra, rica em proteína e em ômega 3, que auxilia na prevenção de doenças cardiovasculares e de alguns tipos de câncer. As carnes vermelhas (picanha, cupim, costela, carne seca e maminha) possuem muita gordura saturada, que além de calorias, aumentam o colesterol ruim (LDL)

Com essas dicas certamente você vai conseguir manter uma boa rotina alimentar e ficar mais feliz quando subir na balança!

Por Carmem Sanches

Comente