Dieta Ravenna: entenda o método

Dieta Ravenna

Foto: Larry Williams/Corbis

Não existe dia certo para começar a perder peso, mas parece que a proximidade do verão deixa as pessoas acima do peso mais preocupadas. Com o desejo de ficarem bonitas no biquíni, a mulherada se dedica à vários tipos de dietas para emagrecer, uma delas é da Dieta Ravenna.

O tratamento médico, com foco em educação comportamental, foi criado em Buenos Aires, em 1991, pelo médico e terapeuta argentino Dr. Máximo Ravenna. O método chegou ao Brasil em 2009, e hoje existem três clínicas que difundem a Dieta Ravenna por aqui (Salvador, São Paulo e Brasília). O tratamento é voltado para qualquer pessoa que esteja com sobrepeso, incluindo também gestantes, lactantes e crianças.

"Enquanto outras técnicas, como Vigilantes do Peso, trabalha a educação nutricional, no Método Ravenna o paciente é acompanhando por uma equipe de profissionais experientes no tratamento da obesidade durante todo o processo", explica Camila Avileis, nutricionista do Centro Terapêutico Massimo Ravenna de São Paulo. Como a dieta é de baixas calorias o corpo começa a queimar sua reserva de gordura, fazendo com que a pessoa emagreça mais rápido.

Na prática, são três os objetivos que norteiam o projeto: corte (de calorias e de atitudes e pensamentos que possam levar à compulsão), medida (diminuir as porções e encontrar a medida adequada) e distância (ações para não voltar a comer em excesso).

O interessado passa por uma avaliação inicial global e clínica por uma equipe interdisciplinar, composta por médicos, nutricionistas, psicólogos e educadores físicos, que vai direcionar o tratamento e individualizá-lo.

Primeiro é feito um exame de bioinpedância. É por meio dele que é medida a quantidade de água, gordura e músculo presente no corpo para então definir a meta de emagrecimento.

Os grupos são acompanhados por psicólogos, que fornecem suporte e base teórica nesta fase de mudança de comportamento e percepção corporal. "O médico acompanha o paciente da indicação do tipo de dieta à intervenção, caso haja alguma intercorrência. E o educador físico direciona o paciente ao movimento correto e prepara o corpo para as mudanças estruturais que a perda de peso traz", explica a nutricionista.

As pacientes têm acesso total a todos os profissionais envolvidos, em qualquer etapa do tratamento, e com a ajuda deles conseguem perder entre 5% a 7% de peso logo no primeiro mês. Ao passo que o método oferece todo suporte é preciso seguir todas as orientações nutricionais e comparecer as reuniões ou grupos terapêuticos, e sem desculpas para faltar ou atrasar por conta de imprevistos pessoais.

E justamente pelo método ser mais rigoroso que muita gente acaba deixando de lado festas de aniversário, reuniões de amigos para não cair em tentação e sair da linha.

Quais alimentos são permitidos?

O método Ravenna é baseado na alimentação paleolítica, ou seja, os carboidratos refinados - açucares e farinhas - são cortados por completo e se fazem presentes apenas nas frutas e verduras inseridas no cardápio permitido. Por isso, o Ravenna não é considerado uma dieta protéica. Com a redução da glicose, o corpo começa a consumir a gordura presente no corpo, promovendo o emagrecimento.

Ao longo do dia são feitas quatro refeições (café da manhã, almoço, lanche e jantar, em intervalos que variam de três a seis horas). Um caldo quente é servido antes do almoço e do jantar para frear a ânsia de comer. A dieta inclui também a ingestão de três a quatro litros de líquidos por dia, além da suplementação de minerais e vitaminas recomendada pelos especialistas da clínica.

"A dieta é individualizada e propõe uma redução rápida e programada de peso. Ao chegar à meta, o paciente passa pela fase de transição, na qual os alimentos são reintroduzidos de maneira supervisionada" diz Camila. "Desde o início, os exercícios fazem parte do processo com atividades direcionadas e adaptadas à etapa em que o paciente se encontra, além de ter como objetivo estruturar a mudança corporal."


Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente