Dá para deixar a fritura mais saudável?

Dá para deixar a fritura mais saudável

Foto: FreeDigitalPhotos http://bit.ly/JHVdLe

Qualquer nutricionista faz cara feia quando a gente fala que não consegue resistir a um pastel de feira ou a alimentos fritos como batatinha e frango. Só que a preocupação desses profissionais não se limita apenas às calorias. Quando submetido a altas temperaturas, o óleo pode causar problemas de saúde.

Segundo a Thatiana Galante, nutricionista da clínica Andrezza Botelho - Nutrição Inteligente, qualquer óleo vegetal a 180º ou mais pode ter sua composição molecular modificada. "Essa temperatura é atingida facilmente em frituras de imersão (quando mergulhamos completamente o alimento em grande quantidade de gordura)", explica.

A gordura insaturada presente no óleo pode se transformar em gordura trans e bloquear a função dos ômegas quando está a mais de 180º. "Existe também ‘ponto de fumaça’, que é quando o óleo começa a liberar uma fumaça branca, possivelmente acompanhada de odor e características desagradáveis. Nessa hora, é sinal de que o óleo já está em temperatura elevada e não deve ser mais utilizado", completa.

A nutricionista lembra ainda que, no ponto de fumaça, o óleo libera uma série de compostos tóxicos. Um deles é a acroleína, que além de ser uma substância irritante da mucosa gástrica é prejudicial à saúde arterial. "As frituras vendidas em feiras livres (pastel, tempurá etc) geralmente são feitas com óleos escuros, com fumaça aparente e odor desagradável, ou seja, com todos os malefícios citados."

Para evitar que os alimentos fiquem encharcados, Dra. Thatiana conta que uma maneira simples é não fritar muitos itens de uma só vez. Isso porque se a frigideira estiver cheia, a tendência é a temperatura do óleo cair e encharcar o alimento. Inclusive o tipo de panela pode potencializar os riscos. "Materiais que contenham ferro e cobre podem contaminar a fritura e facilitar a oxidação do óleo. O ideal é que os recipientes sejam descartados quando começarem a descascar.

Outro alerta da especialista é não reutilizar o líquido. Isso porque toda vez que ele é reutilizado, a formação de acroleína é aumentada e o ponto de fumaça diminui, o que facilita a liberação de compostos tóxicos. "O mesmo óleo também não deve fritar diferentes alimentos, já que ele pode absorver substância da iguaria frita anteriormente."


Dra. Thatiana penda que o melhor mesmo seria evitar os alimentos fritos ou reduzir drasticamente o consumo dos mesmos. E dá outras orientações: "Evite frituras fora de casa, e mesmo em casa, ao usar óleo, procure refogar os alimentos com um fio de óleo ou azeite. Dessa forma a temperatura é menos elevada e o óleo usado não vai perder os benefícios e nem liberar toxinas.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente