Crudivorismo - a dieta das celebridades

Crudivorismo  a dieta das celebridades

Foto: Arquivo MBPress

Crudivorismo é uma das seis formas de vegetarianismo, caracterizada pela ausência de alimentos de origem animal. Além disso, nada pode ser cozido. A ideia de raw food teve início na década de 90, nos Estados Unidos e é fortemente defendida por David Wolfe, um das autoridades quando o assunto é alimentação saudável. Entre as celebridades que apostam nesta dieta estão Madonna, Demi Moore e Alicia Silverstone.

Os defensores do crudivorismo afirmam que os alimentos bioativos são saudáveis e podem aumentar os níveis de energia, auxiliando na disposição e na redução de doenças crônicas. A nutricionista Clarisse Zanette, Mestre em Ciências Médicas, conta porque as pessoas adotam o estilo: "Hoje estamos sendo acompanhados pelo estresse, ansiedade, problemas intestinais, dores de cabeça, obesidade, entre outras doenças crônicas e a prática alimentar ajuda a combater estes males."

Clarisse Zanette afirma que crudivorismo não é uma dieta, mas, sim, um estilo de vida. Ela explica que estes alimentos podem ser desidratados ou aquecidos, porém não devem ser expostos a uma temperatura acima de 40ºC. "Qualquer indivíduo pode começar a adotar este estilo de vida, fazendo algumas mudanças, por exemplo, consumindo verduras e frutas cruas, além de sementes germinadas", diz a nutricionista.

Os alimentos crus têm vários benefícios, entre eles, a vantagem de não perderem os nutrientes durante a cocção. Porém, a alimentação do crudivorista é bem restrita, pois além de não consumir os alimentos cozidos, não fazem uso de alimentos de origem animal como carnes, ovos e leite. "Estudiosos na área mostram que a comida crua auxilia na digestão, pois quando cozinhamos os alimentos a mais de 40° C são perdidas as enzimas que facilitam a digestão e trazem energia ao nosso corpo", explica a nutricionista.

Os principais componentes da "alimentação viva" ou "comida viva" são alimentos crus, frutos frescos e secos (hidratados), vegetais, sementes, algas e grãos germinados, como o gérmen de trigo. E os cuidados mais importantes a se tomar em uma dieta vegetariana dizem respeito à vitamina B12, ao cálcio e ao ácido graxo ômega-3. A nutricionista alerta: "Os dois primeiros devem ser considerados com especial atenção por vegetarianos restritos; o terceiro deveria ser uma preocupação de todos, inclusive não-vegetarianos."


Embora esta seja uma forma muito natural de se alimentar, precauções são necessárias. "Uma dieta muito restrita, sem alimentos cozidos e carnes, pode trazer algumas deficiências de vitaminas e minerais e aumentar o risco de anemia, osteoporose, desnutrição, entre outras doenças. Além disso, indivíduos com problemas de diverticulite não devem consumir sementes cruas", alerta Clarisse Zanette.

Por Bianca de Souza (MBPress)

Comente