Consumo de sal aumenta durante o frio

Em dias frios fique atenta ao consumo de sal

A Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN) recomenda que haja atenção ao aumento de consumo de sal nos dias mais frios. Os dados são preocupantes quando se fala em consumo de sal.

Segundo a SBN, um em cada 6 hipertensos terá doença renal; dez milhões de brasileiros sofrem de insuficiência renal, mas apenas 30% sabem que têm a doença. O sódio presente no sal de cozinha e alimentos industrializados é um dos principais fatores de risco. Para verificar a saúde do seu rim exames de sangue de creatinina podem ajudar.

A OMS recomenda consumo diário de até 6 gramas de sal (equivalente a 2 gramas de sódio), quando o consumo médio do brasileiro é de 14g de sal/dia. E a SBN recomenda verificar o teor de sódio de alimentos industrializados e consumir aqueles com menores índices para conservar a saúde dos rins.

Nos dias mais frios, a tendência de maior consumo de sal é decorrente de refeições mais calóricas e condimentadas. "Isso pode afetar a saúde do sistema cardiovascular e consequentemente do rim", alertou a Sociedade Brasileira de Nefrologia (SBN).

Os rins são órgãos fundamentais na eliminação do excesso de sódio ingerido, mas quando há comprometimento da função dos rins, sua capacidade para filtrar e eliminar o excesso de sal é limitado. O excesso de sal também aumentar os riscos da formação das chamadas "pedras" que na verdade são cálculos renais.

Segundo o nefrologista Roberto Pecoits-Filho, vice-presidente da SBN, no inverno, as pessoas consomem mais alimentos condimentados e calóricos e sabe-se que hoje, 75% do sódio que as pessoas ingerem vem dos alimentos processados e industrializados. "O consumo excessivo de sal provoca a hipertensão, que é reconhecida hoje como uma das principais desencadeadoras de doença renal crônica. Temos dados que mostram que 1 em cada 6 hipertensos desenvolverá problemas renais", afirmou o médico.

A insuficiência renal é uma doença silenciosa, por isso a SBN recomenda a inclusão dos exames de creatinina para detectar a doença renal em estágios iniciais. "Quando o paciente percebe os sintomas, geralmente a doença já está instalada em seus estágios avançados, quando já devem ser encaminhados para diálise ou mesmo transplante", afirmou o nefrologista.

Veja as recomendações da SBN sobre o consumo de sal:

- Leia o rótulo dos alimentos para verificar a quantidade de sódio. Os fabricantes são obrigados a informar, no rótulo do produto industrializado, o teor de sódio no alimento. Alguns alimentos processados concentram tanto sódio que uma única porção tem quantidade superior à recomendada para ingestão diária.


- Tire o saleiro da mesa. É recomendável salgar os alimentos na panela, durante o preparo, para ter controle da quantidade usada.

- Substitua o sal por condimentos e ervas. Há uma série de alimentos naturais que acentuam os sabores dos alimentos e podem substituir o sal, como salsinha, alecrim, orégano, pimenta-do-reino, louro, hortelã, páprica e outros.

Por Catharina Apolinário

Comente

Assuntos relacionados: bem estar sal consumo de sal sal no frio