Como evitar a má alimentação?

alimentação

Foto - Shutterstock

A família moderna é assim: pai e mãe acumulam horas de trabalho, enquanto seus filhos (pequenos ou adolescentes) estudam e realizam atividades diárias, como esportes, cursos, entre outras tarefas. O dia se transforma em uma corrida contra o tempo e, muitas vezes, a alimentação fica comprometida, acarretando em refeições erradas e fora de hora.

"A maioria das pessoas erra logo pela manhã, no momento da alimentação mais importante do dia. Muita gente pula o café da manhã ou, então, o consome no meio do caminho, optando por alimentos industrializados", comenta a Dra. Gisele Rossi Goveia, nutricionista especialista em Nutrição Clínica e membro da Sociedade Brasileira de Diabetes (SBD).

A hora do almoço também é prejudicada, já que para otimizar o tempo, as pessoas recorrem aos restaurantes por quilo, sem pensar nas escolhas, o que segundo a Dra. Gisele, nem sempre é a melhor opção. "O almoço em restaurantes por quilo precisa ser muito bem pensado. Em locais como esse, a variedade de alimentos é muito grande, o que coloca à disposição do consumidor alimentos muito bons e outros nem tanto, com alto índice de gordura, sódio e açúcar".

No jantar, a falta de tempo também pode comprometer a alimentação saudável. Um levantamento do Ministério da Saúde, o VIGITEL 2013, apontou que "16% das pessoas , substituem o jantar nutritivamente balanceado por opções de baixo valor nutritivo, como pizzas, lanches ou salgados, o que não é recomendável, podendo contribuir para maior consumo de gorduras e reduzir vitaminas e fibras", comenta a Dra. Gisele.

Alternativas para a boa alimentação

Segundo a nutricionista, descomplicar é a primeira saída para uma alimentação saudável. Hoje, o mercado oferece muitas soluções práticas e nutritivas. Um lanche gorduroso, por exemplo, pode ser substituído por pão integral (com grande teor de fibras).

Recheios com menor teor de gordura (como o peito de peru no lugar do presunto e substituição dos queijos amarelos por ricota e queijo fresco, por exemplo) e ainda a inclusão de vegetais e frutas para compor esta refeição.

Vale ressaltar que o consumo regular de frutas e hortaliças, em cinco ou mais dias da semana é considerado pela OMS como um marcador de padrão saudável na prevenção de doenças crônicas não transmissíveis (DCNT).

"Aliando atividades físicas ao equilíbrio alimentar, optando por escolhas mais saudáveis mesmo em dias mais corridos, podemos evitar uma série de complicações", finaliza Dra. Gisele.


Por Vila Mulher

Comente

Assuntos relacionados: alimentação nutrição