Arroz: tipos e benefícios

Arroz tipos e benefícios

Seja acompanhado do feijão ou sozinho, o arroz é presença quase que diária no cardápio não só dos brasileiros, mas das pessoas do mundo todo. Quando falamos de alimentação equilibrada ele tem mesmo que ser lembrado, afinal é uma importante fonte de carboidrato, ou seja, de energia.

O grão pode ser encontrado em várias versões e cada uma delas tem funções e benefícios. Conheça detalhes de cada uma delas:

Polido/Agulha: é o tipo mais comum. Por ter a casca retirada no beneficiamento, não é um dos arrozes mais nutritivos, mais ainda assim é fonte de carboidratos.

Parboilizado: ao passar por um tratamento hidrotérmico (água fervente), que consiste em cozinhar parcialmente os grãos com casca, parte das vitaminas e minerais passam da casca para o interior do grão, aumentando o valor nutritivo e concentrando vitaminas do complexo B.

Cateto: com grãos intactos, mantém a sua película e o gérmen, concentrando assim o seu valor nutricional. Com grãos curtos, curvados e um pouco transparentes, têm grande quantidade de amido e, após o preparo, tende a ficar mais macio e cremoso, se comparado com o arroz polido.

Integral: por não passar pelo processo normal de refinamento, este arroz mantém a camada externa do grão, o farelo, conservando as suas qualidades. Além de poupar vitaminas e minerais, é rico em fibras benéficas ao intestino. Contém três vezes mais fibras do que o industrializado, cinco vezes mais vitaminas e quatro vezes mais magnésio.

Arbóreo: possui o grão mais arredondado e concentra bastante amido, conferindo consistência cremosa. Também tem uma incrível capacidade de absorver condimentos. Por isso, é o mais indicado para preparações de risotos.

Basmati: variedade indiana, famosa por sua fragrância (aroma adocicado, de nozes) e sabor delicado. Os grãos deste tipo de arroz são bem mais longos e ficam ainda mais compridos quando cozidos. Têm como característica principal reter a umidade sem que fiquem grudados.

Negro: apesar de ainda não ser muito popular, o sabor e a cor acastanhada do arroz preto podem ser novidade por aqui, mas já é conhecido na China há milhares de anos. Este tipo de arroz contém 20% a mais de proteína e 30% a mais de fibra em relação ao arroz integral. Além disso, tem um elevado teor de ferro, menos gordura e menor valor calórico. Análises do produto também apontaram o grande conteúdo de compostos fenólicos, substâncias antioxidantes, que combatem os radicais livres, prevenindo o envelhecimento precoce, doenças crônico-degenerativas, problemas cardiovasculares, câncer, entre outros.


Selvagem: apesar do nome, não é um arroz de verdade, mas um tipo diferente de gramínea com menos amido. Os grãos são escuros (marrons e pretos) e o seu comprimento é três vezes maior que o do arroz comum, tendo em seu interior um aspecto claro e macio. Esta versão exala um aroma parecido com ervas, que remete ao seu ambiente natural que são as margens dos grandes lados norte-americanos e canadenses. As suas qualidades nutricionais também chamam a atenção, pois este grão é pobre em gorduras e rico em proteínas, lisina (uma aminoácido) e fibras. É também uma boa fonte de potássio, fósforo e vitaminas.

Informações: www.naturalemcasa.com.

Comente