Aprenda a ler os rótulos de produtos

Aprenda a ler os rótulos de produtos

Para muitos consumidores, a preocupação com a saúde cresceu na medida em que os alimentos passaram a ser mais artificiais. O índice de doenças causadas pela má alimentação e por dietas cheias de colesterol, calorias e gordura também aumentou. Assim, a população começou a ficar mais atenta aos ingredientes e à tabela nutricional dos produtos, e, consequentemente, aos rótulos.

De acordo com uma pesquisa realizada pelo LatinPanel sob encomenda da ABRE (Associação Brasileira de Embalagens), 82% das donas de casa leem rótulos de produtos, sendo que 39% fazem isso sempre. A notícia é boa, mas poderia ser melhor. "O ideal seria que todos os consumidores tivessem o hábito de ler rótulos de alimentos, quer seja para consultar a tabela nutricional, lista de ingredientes ou o prazo de validade dos alimentos", afirma Ana Beatriz Fonseca, nutricionista da consultoria VP, em São Paulo.

Saber conferir dados básicos de um item pode significar uma vida mais saudável. Por isso, ai vai a dica da nutricionista: "É importante que as pessoas sempre avaliem as condições gerais dos alimentos, tais como data de fabricação e validade, dados do fabricante, lista de ingredientes e tabela nutricional. Porém, é importante também que a pessoa possa entender as informações disponíveis".

Embora ler um rótulo pareça uma tarefa fácil, a maioria das pessoas não entende de fato as informações de uma tabela nutricional. Se esse for o seu caso, dê preferência à listagem de nutrientes. É mais simples considerar os prós e contras de um alimento observando de que ele é feito. Depois, basta consultar a função dos nutrientes. "Na minha opinião, a lista de ingredientes é mais importante do que a tabela nutricional. Isso porque muitas pessoas não conseguem interpretar a tabela nutricional e muito menos dimensionar como determinado alimento se encaixa no seu hábito alimentar diário, com relação às quantidades oferecidas de nutrientes", fala Ana Beatriz.

Quem quer calcular a quantidade de calorias de que precisa em um dia, por exemplo, não pode se basear só nas tabelas nutricionais. Isso porque elas adotam um valor de referência (2000 calorias), apenas, e, como explica a nutricionista, a necessidade de cada indivíduo pode ser maior ou menor e depende de vários fatores. "O cálculo de necessidade de calorias diárias deve ser individual, pois deve levar em consideração o nível de atividade física da pessoa, o sexo e a composição corporal". Portanto, não fique preocupada se você come mais que sua amiga, pois seu organismo pode precisar de mais calorias que o dela.

Mas, a ingestão de um alimento não pode ser baseada somente em quantas calorias ele possui, e sim em qual é seu valor nutritivo. Afinal, nosso corpo precisa de uma cota diária de carboidratos - fontes de energia, lipídios - que fornecem energia e são formadores de hormônios, e proteínas - para crescimento e renovação celular.

Alguns produtos quase não têm calorias, porém têm baixo valor nutricional. "Um alimento que pode ilustrar como as calorias não são o fator mais importante do alimento é o refrigerante zero: esse alimento possui zero caloria, e teoricamente não iria contribuir com a ingestão calórica diária; porém, qual outro nutriente necessário ao metabolismo ele tem associado? Quando pensamos em um suco de laranja, ele tem muito mais calorias que um refrigerante zero, porém tem diversos nutrientes importantes ao metabolismo endógeno como vitaminas, minerais e fitoquímicos antioxidantes", conta Ana Beatriz. Ela também aconselha o consumo de produtos com poucos aditivos químicos.

A nutricionista citou a função de alguns nutrientes que frequentemente aparecem em rótulos. Confira:


Sódio: é necessário para o metabolismo em geral, especialmente no transporte de substâncias. Quando em excesso, pode ser prejudicial, principalmente para quem sofre de hipertensão arterial.

Cálcio: atua na formação e manutenção de ossos e dentes e no metabolismo geral.

Ferro: tem várias funções, a principal é o transporte de oxigênio.

Fósforo: também atua na formação de ossos e dentes.

Potássio: importante para a manutenção do pH (índice de acidez) do sangue, além de participar de sistemas de transporte.

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente