Ansiedade engorda?

Ansiedade engorda

Além da angústia e da inquietação, os quilinhos a mais são os grandes vilões das mulheres ansiosas. Isso porque é comum que descontemos em alimentos como doces e massas o mal estar que este sentimento provoca.

Segundo a médica endocrinologista Cláudia Chan, essa preferência por alimentos calóricos liberam no cérebro, na área do circuito do prazer e recompensa (hipotálamo e núcleo accumbens), neurotransmissores que terão a função de ativar esta região. Mas só por alguns instantes.

"A sensação de prazer geralmente é muito rápida e seguida do sentimento de culpa. É importante explicar que toda vez que consumimos este tipo de alimento, ocorre uma elevação da glicemia do sangue que depois cai abruptamente. E quando ocorre esta queda, dá fome, estabelecendo-se, assim,um mecanismo de ‘dependência’", conta a médica.

Apesar dos ansiosos comerem de maneira compulsiva, nem todos se tornam obesos. Isso dependerá de fatores como tipo de alimento consumido durante a crise, quantidade e tendência genética. Porém, pode trazer outros problemas: "A ingestão excessiva desses alimentos pode levar a alterações metabólicas, como colesterol e triglicérides elevados, ou até mesmo gerar alteração de glicose (açúcar do sangue) naquelas mulheres suscetíveis", alerta a endocrinologista.

Mas há uma forma bem saudável de controlar a ansiedade. Sabe qual é? Exercício! "Qualquer atividade física vai trazer benefícios. Estudos revelam que uma pessoa que se exercita três vezes por semana consegue reduzir bastante as ocorrências de ansiedade", explica Eloana Silvestrini Gandur, coordenadora técnica da Academia Curves do bairro da Aclimação, em São Paulo.

A ansiedade desencadeia a noradrenalina, substância que influencia o humor, o sono e a alimentação. Quando liberada, traz irritação, insônia e dificuldade de concentração. E a atividade física faz o efeito contrário, libera endorfina e deixa a musculatura do corpo mais relaxada, reduzindo casa vez mais as crises de ansiedade. "A pessoa não pode se exercitar mais de seis dias por semana, é preciso reservar um sai para o restabelecimento dos músculos e das articulações", orienta Eloana.

Exercícios físicos como aliado

Quem comprovou a eficiência dos exercícios para redução da ansiedade foi a executiva de vendas Simone Diniz, de 38 anos. Há dois ela chegou à academia Curves, em Belo Horizonte, pesando 114 kg. Hoje ela já perdeu 35 kg e fez cirurgias plásticas para tirar 3,9 kg de gordura e pele caída.

"Minha família sempre foi adepta a exercícios. E eu era avessa à academia. Até que minha irmã me convenceu a fazer exercícios. Logo no primeiro mês eu perdi cinco quilos", conta Simone. "Durante quatro meses seguidos fui a ‘Rainha da academia’, título dado às mulheres que mais emagrecem durante o período".


Aliando força de vontade, reeducação alimentar e exercícios físicos, Simone revela que hoje é outra pessoa. "Quando eu tinha picos de ansiedade eu chegava a comer uma caixa de bombom, sentia meu estômago embrulhar e colocava o dedo na garganta. Eu sabia que isso era errado, ma seu não conseguia mudar", revela.

Disposta a virar a mesa, Simone hoje tem prazer em fazer exercícios e comer corretamente. Percebeu aumento da autoestima e da confiança, melhora de pele e cabelo e a diminuição da ansiedade. "É uma luta diária, mas que vale a pena", afirma.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente

Quiz de Celebridades!

Quem é mais jovem?