Seja uma fada madrinha neste Natal!

Apadrinhe pessoas e compartilhe o espírito solidário
fada madrinha

foto: Shutterstock

Sabia que você é capaz de realizar muitos sonhos neste Natal? É só você querer. Você pode se transformar numa fada madrinha e escolher quem quer ajudar. 

Existem campanhas de apadrinhamento organizadas por ONGs e instituições, onde você pode se tornar “madrinha”, seja se crianças, alunos, atletas e outros beneficiados. São varias maneiras de contribuição: por meio de doações em dinheiro, de materiais ou até mesmo de ajuda afetiva - como no caso de crianças portadoras de deficiência, que precisam de muito apoio e cuidado.

Aproveite o espírito solidário que se instala nessa época de fim de ano e faça sua parte! Veja algumas dessas campanhas:

Adote uma criança - No programa da Visão Mundial você pode escolher uma criança de uma comunidade carente que quer ajudar, doando R$ 50 todo mês. Você também acompanha o desenvolvimento do afilhado, já que as visitas são permitidas, assim como a troca de cartas e presentes. 

Adote um aluno- O objetivo da AlfaSol é ajudar pessoas acima de 15 anos que ainda não são alfabetizadas. Com uma doação de R$ 30 mensais por 12 meses, você garante que um aluno tenha a oportunidade de ir à escola e possa ter um futuro melhor, com mais oportunidades profissionais. O valor arrecadado é utilizado para a formação de salas de aulas.

Adote um atleta - O Atletas Brasil é um canal que disponibiliza perfis de vários esportistas brasileiros que podem ser apadrinhados. A ideia é ajudar iniciantes, amadores e profissionais a continuarem a carreira em suas modalidades e a participarem de campeonatos. Você pode escolher um atleta e fazer doações a partir de R$ 20. O dinheiro é repassado diretamente para a conta bancária do afilhado. 

Apadrinhe um paciente com deficiência - As Casas André Luiz, especializadas no atendimento ao deficiente intelectual, conta com um programa de apadrinhamento desde 1994. Nele, a pessoa pode oferecer carinho e apoio a um paciente. Nesse caso, você deve assumir um compromisso e estar sempre presente na vida do afilhado que não possui família. 

Por VilaMulher

Comente

Assuntos relacionados: campanha solidariedade