Nem todo conselho é bom

conselho

Nem todo conselho é bom - nem mesmo quando quem o dá pensa que é o conselho certo. Algumas vezes ele é dado com toda sinceridade, mas continua falho. Isto me fez lembrar uma história que me foi contada recentemente.

Um homem terminara de almoçar e estava em seu carro, dirigindo-se para o compromisso seguinte. Sua mente reportou-se à noite anterior. Ele começou a ficar perturbado com a briga séria que tivera com a mulher. Era um daqueles conflitos contínuos, não solucionados, e decidiu então que estava na hora de fazer as pazes. Ao sentir-se culpado por algumas das coisas que dissera, o homem pegou o celular e teclou apressado para casa em meio a um congestionamento de trânsito.

Quando a empregada atendeu ao chamado, ele disse: “Quero falar com minha mulher.” Ela respondeu: “Ela me falou que não queria ser interrompida neste momento” Curioso, ele perguntou: “Não quer ser interrompida?” A empregada disse: “É verdade, ela está lá em cima com o namorado e avisou que não quer ser perturbada.” Furioso, o marido perdeu a cabeça. “Você sabe onde guardo minha espingarda? Vá buscá-la, coloque duas balas suba e mate os dois.”

Ela colocou o telefone na mesa, pegou a espingarda de dois canos e subiu as escadas. Ele ouviu os dois tiros e esperou. A moça desceu, pegou calmamente o telefone e disse: “Está feito. Eles estão mortos. O que você quer que eu faça com os corpos?” Ele falou: “Jogue-os na piscina e eu cuido do resto quando chegar.” Ela disse: “Não temos piscina.” Houve uma pausa e o homem perguntou: “É do 2481-632?”

Cada pessoa que está lendo este texto já recebeu um mau conselho. Você prestou atenção enquanto ouvia. Seguiu o conselho recebido e depois sofreu conseqüências. Por outro lado, todos nos beneficiamos dos bons conselhos de alguém. Estávamos inseguros e confusos, então procuramos alguém em quem confiávamos. Recebemos bons conselhos, nós os aplicamos e tiramos proveito dos benefícios.

Na próxima vez em que se dispuser a ouvir um conselho, antes de segui-lo, procure saber as qualificações, experiência e valores de seu conselheiro. Se ele tiver as credenciais necessárias, não hesite em seguir seus conselhos.

Daniel C. Luz

Autor dos livros Insight I e Insight II

DVS Editora

Comente

Assuntos relacionados: bom ruim conselho