Mudanças só acontecem com o autoconhecimento

Autoconhecimento  mudanças acertadas

Todos os pensamentos e emoções que geram nossos comportamentos estão ligados uns aos outros. Se você observa situações que trazem sofrimento e desconforto para sua vida, está na hora de tomar uma atitude a repeito.

Quando olha para dentro de si o que você vê? A resposta a essa pergunta faz a diferença entre conseguir transformar o que não está bom na sua vida, ou seguir repetindo o mesmo tipo de situação limitante.

A não ser que você adquira consciência sobre os mecanismos que o(a) levam às experiências dolorosas, não poderá acessar os recursos internos para evitá-las. Ou seja: se não tiver consciência sobre o que se encontra em seu interior, continuará refém das suas emoções e comportamentos.

Pessoas desconectadas com seus movimentos internos, em geral, sentem medo de entrar em contato com suas crenças e emoções mais profundas sobre si mesmas. Sentem-se ameaçadas por medos imaginários e, para se defenderem de algo que temem ser doloroso, ameaçador, ou mesmo insuportável, vivem no modo automático.

O problema é que em vez de proteger, esse falso mecanismo de defesa acaba provocando situações indesejáveis que poderiam ser evitadas.

Se isso acontece com você, faça uma reflexão e tome uma atitude. Uma vez que decidir se conectar com seu verdadeiro ser, perceberá que, à medida que você mergulhar no seu mundo interno, ganhará força e confiança para superar traumas, experiências negativas, e o que quer que estiver impedindo a realização dos seus projetos de vida.

A autotransformação requer um processo de organização interna. Vivências passadas misturadas, emoções confusas, registros incompletos, precisam ganhar sentido e ser elaborados. Dificuldades de diversas naturezas para realizar o movimento para dentro dos porões da mente e si, devem ser acolhidas e enfrentadas.

Isso significa não se criticar ou julgar o que estiver presente. Identificar emoções, tantas vezes, contraditórias e dolorosas, exige disposição e coragem. Mas é a consciência da arquitetura interna que possibilita a reestruturação do modo como costumamos funcionar e agir.

Não há outro caminho para a mudança que não passe pelo processo de autoconhecimento. Se não conhecermos nossos padrões mentais e emocionais, não podemos mudar o que não queremos mais em nossas vidas.

Angústia, crises de ansiedade, falta de autoconfiança, relacionamentos conflituosos, refletem o panorama emocional do indivíduo. Em vez de seguir no automático, repetindo o que não funcionou antes, você pode decidir mudar.

Esse é o primeiro e mais importante passo para quem deseja obter novos resultados em sua vida. Não basta saber, refletir, pensar. Se você não arregaçar as mangas e começar a agir diferente, tudo seguirá da mesma maneira.

O processo de autodesenvolvimento envolve dificuldades, idas e voltas. Cair e levantar faz parte da empreitada. Fundamental é manter o foco no resultado final que se pretende obter. Sem se deixar abater por aparentes derrotas. A vitória sobre nós mesmos é feita de pequenas mudanças que vão se somando, até se transformarem em novos padrões internos.


Se não estiver conseguindo resolver suas questões existenciais, sozinho (a), não hesite em recorrer a um profissional. Talvez você precise recorrer à ajuda especializada para reestabelecer conexões perdidas. Não há vergonha alguma nisso. Depende de cada um de nós sustentar a caminhada que nos levará à realização de nossos projetos de vida.

A colunista Jael Coaracy é escritora, personal, executive coach e psicóloga com especialização em Terapia Racional Emotiva Comportamental. Contatos - jaelcoaracy@gmail.com http://www.vaidarcerto.com.br

Comente