Jovem com nanismo fala do seu cotidiano

Jasmine à direita conta sobre as dificuldades por

foto: reprodução

Jasmine Burkitt tem apenas um metro e 21 centímetros de altura e decidiu deixar a segurança da casa onde cresceu para cursar faculdade. A adolescente britânica que sofre de nanismo contou ao portal BBC como é viver em um mundo adaptado a pessoas muito mais altas do que ela.

Jasmine, que herdou a condição de sua mãe, sofria perseguições na escola por causa do seu tamanho. Teve que sair da escola quando tinha 13 anos depois que um garoto a jogou no chão, lhe causando problemas nos joelhos.

Depois do episódio, a mãe de Jasmine decidiu educá-la em casa. A adolescente disse que a experiência permitiu que ela aprendesse a cozinhar, limpar e a lidar com seu problema.

No ano passado, Jasmine decidiu seguir sua paixão por animais e saiu de casa para fazer um curso sobre o bem estar dos animais no condado de Denbighshire, na Inglaterra. Na faculdade, ela tem um quarto adaptado especialmente para ela, com um chuveiro mais baixo e uma escada para que ela possa alcançar as prateleiras.

Ela conta que a equipe da faculdade faz de tudo para que eu ela se encaixe. Jazz (como Jasmine é mais conhecida) cita, como exemplo, o caso do avental que os estudantes devem usar no laboratório da faculdade. Nenhum eram apropriado para ela, e então, a faculdade pediu que o fornecedor dos uniformes tirasse suas medidas e fizesse um avental no tamanho dela, o que a comoveu bastante.

A decisão de sair de casa foi dura para Jasmine, já que também cuidava da mãe sozinha, mas sempre quis lutar por sua independência.

O nanismo é um distúrbio - na maioria dos casos de ordem genética - que resulta em indivíduos com estatura muito abaixo da média populacional. Ele pode ocorrer de forma proporcional, quando há uma ausência de crescimento em todo o corpo. Nesse caso, o comprimento do abdômen e do peito é proporcional ao das pernas. Adultos com essa condição raramente alcançam 152 cm.

Existe também o nanismo desproporcional, em que certos membros podem ser mais curtos. Nesse tipo de nanismo, a altura da pessoa pode ser severamente afetada. Adultos alcançam entre 107 e 137 cm.

[leiamais url="http://vilamulher.com.br/fibrose-cistica-que-leva-a-morte-prematura-11-1-71-201.html" externo="nao"]Fibrose cística que leva à morte prematura[/leiamais] [leiamais url="http://vilamulher.com.br/jovem-com-cancer-vira-sucesso-na-web-11-1-71-220.html" externo="nao"]Jovem com câncer vira sucesso na web[/leiamais]

Existem vários tratamentos para distúrbios de crescimento, incluindo injeções de hormônio do crescimento e cirurgias para aumentar o comprimento de braços e pernas.

Mas Jasmine disse que nunca considerou alterar sua altura natural. "Eu nasci com esta condição e aprendi a fazer tudo com esta condição. Não é algo que eu separo de mim, é parte da minha vida. Eu valorizo isso e não gostaria de mudar quem eu sou. É por causa da minha condição que eu não quero limites", revela.

Por Jessica Moraes

Comente