Jovem com doença rara supera bullying com autoestima

A jovem americana Ciera Swaringen superou comentários maldosos sobre sua doença rara de uma maneira muito simples

Foto: Reprodução/redetv

Se tem uma coisa que, definitivamente, todo jovem passa em sua vida, é pelo bullying. E superar brincadeiras maldosas nem sempre é fácil, mas a jovem americana Ciera Swaringen mostrou como vencer este obstáculo: com amor próprio. A adolescente, de 19 anos, tem 70% de sua pele coberta por  manchas escuras de nascença, o que sempre gerou comentários perversos por parte dos colegas.


Em seu nascimento, a garota foi diagnosticada com nevo melanocítico congênito (NMC), doença que acumula, de forma anormal, melanócitos de certa região da pele e gera pintas escuras através do corpo, segundo informações do tabloide americano Mirror.

Foto: Reprodução/capitalbay

Ciera contou como superou todas as dificuldades causadas pela doença de pele. "Eu lembro de um dia estar no ônibus escolar e ouvir um garoto rir e me chamar de 'cachorro manchado', aquilo nocauteou minha confiança. Mas eu tenho muito orgulho de ser diferente, todos nós temos algo que é incomum, e eu acabei aprendendo a amar minha pele", acrescentou a americana.

Foto: Reprodução/redetv

Apesar das manchas terem assustado alguns médicos, o diagnóstico é de que as manchas não ameaçam a saúde da garota, apenas precisa tomar precauções com o sol, já que ela está mais propensa a desenvolver câncer de pele.

Foto: Reprodução/redetv

A jovem, que mora em Rockwell (Carolina do Norte), acabou de se formar no colegial e usou a condição de sua pele para um projeto escolar. Em suas pesquisas sobre a doença, acabou descobrindo grupos no Facebook que a ajudaram a perceber que não estava sozinha no mundo. "Eu espero conseguir assistir a uma conferência sobre a doença, para conhecer outras pessoas com minhas condições", contou.

Comente

Assuntos relacionados: Lívia Duarte bullying manchas de pele