Homem salva mais de 2 milhões de vidas com a doação do seu sangue

homemdoação

Shutterstock

A história do australiano James Harrison é um tanto quanto curiosa e também comovente. Quando tinha 13 anos de idade precisou fazer uma cirurgia delicada no peito. Passou três meses no hospital se recuperando e, tão grato por receber a doação de sangue que salvou sua vida, prometeu a si mesmo que iria doar o seu no futuro.

Cinco anos depois Harrison tornou-se doador e descobriram que seu sangue tinha um anticorpo muito raro e valioso, que poderia salvar a vida de muitas pessoas no tratamento da doença de Rhesus (conhecida também como eritroblastose fetal), uma espécie de anemia grave, na qual os anticorpos de uma mulher grávida podem destruir as células sanguíneas do bebê.

Naquela época, a doença estava matando dezenas de milhares de bebês por ano, além de causar problemas como danos cerebrais naqueles que sobreviviam. Felizmente, quando a incompatibilidade é descoberta precocemente, pode ser feito um tratamento pré-natal, que funciona introduzindo anticorpos que impedem a destruição das células do bebê.

Harrison aceitou se submeter a vários testes que levaram ao desenvolvimento de uma vacina chamada Anti-D. Mas por Harrison se tornar uma cobaia, algumas precauções foram tomadas, como um seguro no valor de 1 milhão de dólares.

Harrison doou uma quantidade exorbitante de plasma, masis que de sangue, o que possibilitou que ele doasse mais de mil vezes nos 57 anos em que ele vem fazendo isso. Estima-se que o australiano tenha ajudado a salvar entre 2 e 2,5 milhões de pessoas. Entre essas pessoas está a filha dele, Tracey, que precisou da vacina Anti-D antes do nascimento do filho. Taí um exemplo de humanidade, solidariedade e gratidão!


Comente

Assuntos relacionados: doação de sangue james harrison