Fotos retratam o que os refugiados levam na fuga

Esta emocionante série fotográfica retrata o que os refugiados estão levando consigo quando deixam suas casas

Refugiados da guerra mostram o que carregam consigo depois que fugiram de suas casas. Foto: Reprodução/hypenness

Escolher quais pertences levaria consigo caso tivesse que deixar sua casa rapidamente costumava ser uma brincadeira infantil ingênua e divertida. Contudo, para os mais de 100 mil refugiados de países do norte da África, do sul da Ásia e do Oriente Médio, que saem fugidos da guerra e precisam levar apenas o necessário esta, essa é a mais dura e triste realidade.


Essa triste situação foi retratada em uma série fotográfica da International Rescue Comittee, que documentou em emocionantes imagens diversos refugiados com seus respectivos pertences. Confira as fotos e os depoimentos.

Aboessa, 20 anos

Foto: Reprodução/hypenness

Aboessa, 20 anos, junto de seu marido e sua bebê de 10 meses, fugiram de um campo de refugiados em Damasco, Síria. Ao tomarem uma embarcação clandestina para a Europa, a polícia turca confiscou o motor da embarcação, mas os refugiados conseguiram fazer a travessia usando remos improvisados. Eles conseguiram chegar em solo europeu.

Foto: Reprodução/hypenness

Em sua bagagem, apenas pertences de sua filha: um chapéu de bebê, medicamentos, panos de fralda, meias, filtro solar, pasta de dente, documentos, carteira, carregador de celular e uma faixa amarela de cabelo.

Omram, 6 anos

Foto: Reprodução/hypenness

Omran, de apenas 6 anos, fugiu da guerra na Síria para viver com alguns parentes na Alemanha. Ele e sua família tinham a ideia de fugir pela floresta para não serem encontrados. Então, em sua mochila há uma grande quantidade de curativos, uma calça, uma camiseta, seringa, marshmallows, sabonete, pasta e escova de dente.

Foto: Reprodução/hypenness

Iqbal, 17 anos

Foto: Reprodução/hypenness

Iqbal, 17 anos, fugiu da província de Kunduz, no norte do Afeganistão, em meio a tiroteios. Ele caminhou por quilômetros até chegar na Ilha de Lesbos, na Grécia, e agora busca um lugar para recomeçar.

Em sua mochila, o jovem levava: uma calça, uma camiseta, um par de sapato, um par de meias. Shampoo, gel de cabelo, pasta de dente, escova de dente, cortador de unha, escova de cabelo, 100 dólares, 130 liras turcas, dois celulares e cartões SIM de três operadoras.

Foto: Reprodução/hypenness

“Eu quero que minha pele seja branca e que meu cabelo fique arrepiado – eu não quero que saibam que eu sou um refugiado. Eu acho que alguém pode me descobrir e ligar para a polícia por seu ser ilegal”, confessou o jovem, com medo de ser descoberto.

Nour, 20 anos

Foto: Reprodução/hypenness

Nour, de 20 anos, deixou a Síria assim que as bombas começaram a explodir. Ele havia feito duas malas: uma com suas roupas e outra com seus pertences. No entanto, foi alertado de que teria que deixar uma das malas, pois não caberiam duas na embarcação. 

Foto: Reprodução/hypenness

Em sua mochila ele leva carteira de documentos, um rosário, um relógio, uma bandeira da Síria, um chaveiro palestino, pulseiras que ganhou de amigos, palhetas de guitarra, celular, cartão SIM, documento de identidade e uma camiseta. "Isso é tudo o que sobrou”, lamenta.

Família Síria

Foto: Reprodução/hypenness

Esta família síria perdeu quase tudo o que carregava durante a travessia até a Grécia. A embarcação em que estavam começou a afundar e isso foi o que conseguiram salvar de seus pertences. “Eu espero que morramos. Essa vida não vale mais a pena. Todos fecharam as portas na nossa cara, não há futuro".

Foto: Reprodução/hypenness

A família inteira carregava apenas uma camiseta, uma calça jeans, um par de sapatos, produtos de higiene, uma fralda, duas caixinhas de leite, alguns biscoitos, documentos, dinheiro, absorventes e um pente.

Hassan, 25 anos

Foto: Reprodução/hypenness

Já Hassan, de 25 anos, carrega consigo apenas dois itens: uma calça e uma camiseta. "Isso é tudo o que eu tenho. Eles disseram que poderíamos trazer dois itens, uma camisa e uma calça extra".

Por Lívia Duarte

Comente