Cuidados com os idosos

cuidando de idosos

Alguns idosos quando chegam aos 70, 80 anos, continuam gozando de boa saúde. Mas infelizmente outros atingem essa idade de forma mais deteriorada, por conta de uma doença, e necessitam do apoio de terceiros para viver.

O que acaba acontecendo, em muitos casos, é que o filho ou filha tomam essa responsabilidade. Conforme a situação, o idoso pode ser uma pessoa muito doente e o convívio se torna mais delicado e difícil. Por isso não basta só o cuidado e a dedicação, mas também é preciso verificar quais são as reais necessidades daquela pessoa, como também ter mente e espírito preparados para as adversidades que possam surgir durante esse momento.

O corpo demasiadamente fraco para se levantar e não podendo fazer suas necessidades diárias sem o auxílio de outra pessoa requer uma atenção especial. Se não há um cuidador profissional para o idoso, o familiar precisa ter o conhecimento de suas necessidades. Um quarto bem arejado e limpo, lençóis trocados frequentemente para evitar infecções e alguns ajustes devem ser feitos, como equipamentos colocados dentro de casa para que o idoso possa se locomover com mais facilidade, entre eles, corrimão e suportes no banheiro.

Essas medidas são de grande utilidade, pois algumas pessoas ao envelhecerem começam a perder o equilíbrio e também seus ossos estão mais fracos. É necessário dar banho na pessoa todos os dias, usando uma bacia e uma toalha. Se não for possível caminhar com ela, mude a pessoa de posição várias vezes ao dia, para evitar o aparecimento de feridas, escaras. Tenha sempre uma comadre próxima à cama e tente convencer o familiar a usá-la sempre.

Os familiares além de todas essas preocupações, também têm de organizar a rotina para não esquecerem de si próprios. Alternar essa tarefa com outros familiares e arranjar um tempo para cuidar de si e relaxar é fundamental. Fazer algo que se gosta, como ler, caminhar ou escutar música, pode recarregar as baterias. Alguns cuidadores familiares buscam melhorar o nível de estresse com meditação e práticas religiosas, que são grande aliadas.

Em alguns casos, os familiares optam pelas casas de repouso. Mas todo cuidado é pouco. Antes de tomar essa decisão, é preciso avaliar a necessidade total do idoso familiar. Quando uma casa de repouso não tem recursos suficientes para adequar uma pessoa demasiadamente enferma, nesses casos a procura por médicos e hospitais apropriados vêm a ser a melhor saída.

Nessa procura é fundamental pedir o alvará de funcionamento, que se baseia na resolução da Anvisa que estabelece algumas medidas, dentre elas, a de que a instituição ofereça instalações físicas em boas condições de morabilidade, higiene, salubridade, segurança e que garanta a acessibilidade à todas as pessoas com dificuldade de locomoção.

Os dormitórios devem ser separados por sexo, para no máximo quatro pessoas, e com banheiro. O local deve ter sala de convivência com área mínima de 1,3 metro quadrado por pessoa e área externa descoberta para convivência e desenvolvimento de atividades ao ar livre.

leia também


Por Jessica Moraes

Comente

Assuntos relacionados: terceira idade cuidador