Brasil é o 62º melhor lugar do mundo para ser mulher

ser mulher

Foto: Strauss/Curtis/Corbis

O Relatório Global sobre Desigualdade de Gênero 2013, divulgado na sexta-feira (25) pelo Fórum Econômico Mundial, concluiu que desigualdade entre homens e mulheres diminuiu na maior parte dos países do mundo. Entretanto, o Brasil ficou em 62º lugar para ser mulher, mesma posição do ano passado. As informações são da BBC.

O balanço feito anualmente apontou que, dos 136 países analisados, 86 deles apresentaram melhoras em relação ao ano anterior. Pelo quinto ano consecutivo, a Islândia foi apontada como o país mais avançado em termos de igualdade entre homens e mulheres. Em seguida vêm Finlândia, Noruega e Suécia. Os Estados Unidos ficaram em 23º.

Saadia Zahidi, a principal autora do relatório, disse à rede BBC que os países nórdicos continuam sendo exemplo porque têm uma longa história de reconhecer e investir no talento individual. "Tratam-se de economias pequenas, com populações pequenas. Eles reconhecem que o talento importa e este talento está nos homens e nas mulheres."

O relatório destacou os avanços da Nicarágua, em 10º no ranking, considerado o país mais igualitário das Américas e elogiado pelo empoderamento político das mulheres. Entretanto, os países do Oriente Médio e do norte da África foram as únicas regiões que não mostraram avanços no ano passado. O Iêmen ocupa a última posição no levantamento.


A redução da desigualdade foi notada em quesitos como acesso a saúde e à educação. Na igualdade econômica, a diferença diminuiu apenas 60%. Em termos de representação política, a diminuição foi de apenas 21%.

Em oito anos de avaliação 80% dos países fizeram progressos.

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente