Benefícios da Equoterapia

Benefícios da Equoterapia

Foto: divulgação

Reconhecida como meio de reabilitação pelo Conselho Federal de Medicina desde 1997, a equoterapia é um método terapêutico em que se utiliza o cavalo como instrumento de reabilitação e equilíbrio, junto a uma equipe interdisciplinar nas áreas da saúde, educação e equitação, buscando o desenvolvimento físico, psíquico e social do indivíduo, além de uma melhor autonomia.

Com 14 anos de experiência no trabalho de terapia por intermédio dos cavalos, a terapeuta ocupacional Luciane Garcia Corrêa Padovani, que também é coordenadora do Centro Clínico Camaster Equoterapia, localizado na cidade de Salto, em São Paulo, vê os benefícios desta prática serem comprovados dia a dia.

"Entre os principais, podemos destacar a melhora da coordenação psicomotora e do tônus global, o desenvolvimento das reações de equilíbrio e a melhora dos padrões respiratório e sanguíneo", pontua.

Jeferson Paulo Alves da Silva, 21 anos, praticante há oito meses é um exemplo ude superação. Seu pai Joaquim Pereira da Silva Neto, destaca que um aspecto que chamou a atenção foi a melhora na salivação. "O curioso neste tratamento foi que pude observar que até a salivação do Jeferson melhorou bastante", alega.

O tratamento é uma atividade facilitadora no sentido de auxiliar também na melhora da agressividade, fobias, depressão, ansiedade, distúrbio de aprendizagem, déficit de atenção, concentração e hiperatividade (TDAH).

Outras vantagens apontadas pela profissional ainda na área psicológica são o aumento da autoestima e autoconfiança, melhora de aspectos afetivos, diminuição da agressividade, autonomia, prazer, etc.

"É notável a melhora através da equoterapia, em casa, apesar de toda agitação e hiperatividade, ele tem conseguido se concentrar em algumas atividades, como ouvir música, que é algo que ele adora", comenta Joaquim.

Esses benefícios surgem porque, na equoterapia, o cavalo se torna cúmplice do praticante, aliando respeito e carinho entre ambas as partes.

"O ato de cavalgar faz com que o praticante interiorize sensações corporais, sentimentos e emoções através da visão, do olfato, da audição e da sinestesia", explica Luciane. "O raciocínio e o sentido da realidade são estimulados no contato e no intuito de poder guiar o animal, ou responder aos exercícios na direção e no espaço proposto pelo terapeuta", esclarece.

Fundamental na reabilitação do praticante, o cavalo em contato direto com o ser humano provoca grandes surpresas conforme comenta a terapeuta. "Estando em contato com o animal podemos sentir respeito, carinho, segurança, além da imensa vontade de estar em cima, de experimentar o andar, o contato, a liberdade".

Joaquim também ressalta que o tratamento tem melhorado a socialização escolar de seu filho. "A professora me chamou esses dias e emocionada comentou que havia um colega de sala que não conseguia interagir com a classe, ele não trabalhava com ninguém. Com a chegada do Jeferson, que logo se aproximou do garoto, ela conseguiu um aliado para ajudá-la no trabalho de interação e alfabetização deste aluno", finaliza Joaquim.


Além de doenças psicológicas, a equoterapia é indicada também como tratamento complementar em casos como: atraso psicomotor, paralisia cerebral, miopatias, doenças musculares, lesões medulares, acidente vascular cerebral (AVC), traumatismo crânio encefálico (TCE), esclerose múltipla, aneurismas, tumores cerebrais, Parkinson, poliomielites, deficiências sensoriais, síndrome de Down e de Reth, autismo, entre outras.

Por Jessica Moraes

Comente