Apenas 12% cumprem metas de fim de ano

Apenas 12 cumprem metas de fim de ano

Emagrecer, arrumar um namorado, pagar as dívidas... Quando 2010 estava no finalzinho aposto que você repensou sua vida e, pelo menos, tentou estabelecer objetivos para 2011. Mas o difícil mesmo é colocar tudo isso no papel, arregaçar as mangas e partir para a conquista desses sonhos. Uma pesquisa realizada na Inglaterra ouviu três mil pessoas e constatou: apenas 12% delas cumprem as metas de final de ano. Ainda segundo o estudo, somente 52% acreditam que conseguirão atingir seus objetivos no ano seguinte.

Apesar de não ter sido feita em terras brasileiras, a pesquisa apontou um hábito que também predomina por aqui. Poucos são os que traçam planos, e, mesmo quem faz isso, muitas vezes não consegue executar o que foi planejado. "Isso ocorre, principalmente, porque as pessoas não sabem quais os caminhos seguir para cumprir suas metas", explica Villela da Matta, presidente da Sociedade Brasileira de Coaching. Para ele, como a cultura de planejar não é muito difundida em nosso país, tem aumentado a procura por coachs - profissionais que orientam seus clientes para que cheguem até os objetivos estabelecidos. "Vale ressaltar que o mercado de coaching cresce cerca de 300% ao ano, no país", completa o especialista.

Tudo porque, normalmente, as pessoas têm dificuldades para identificar propósitos e traçar metas tangíveis para chegar até eles. Por isso, buscam alguém que as ajude a pensar de maneira mais prática e direta. "No processo, a pessoa adquire autoconfiança e segurança. Somando-se isso às metas já identificadas e estipuladas e ao apoio do coach, o cliente terá plenas condições de atingir sonhos antes tidos como impossíveis", afirma da Matta.

A opinião do coach faz sentido. Quando deixamos nossos sonhos apenas no plano do pensamento, fica difícil traçar um caminho com metas tangíveis que nos leve até eles. Então, parecem mesmo impossíveis. Portanto, a ideia é "sonhar com os pés no chão", ter desejos reais e correr atrás deles. "A questão é que as pessoas querem ser felizes e não sabem por onde começar", acredita o especialista. Então, contratar um profissional da área pode sim ser uma boa pedida - principalmente para as mais desencanadas.

Para os casais, a dica é que os dois façam uma breve reunião, compartilhem as expectativas para o próximo ano e estabeleçam sim alguns passos para a conquista dos desejos. Se quiserem comprar um carro, por exemplo, podem também começar a pensar no melhor mês - em que as taxas costumam estar mais baixas -, guardar certa quantia de dinheiro por um tempo determinado ou quem sabe aplicar um valor para que haja lucros mais rapidamente.


Embora tudo pareça complicado, não é bem assim. É bom lembrar que cada caso precisa de atenção especial, pois tem suas particularidades. Então, não desista no primeiro obstáculo. Lembre-se que, com metas traçadas e concluídas, você pode passar o final do ano que vem muito mais realizada e feliz!

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente