A culpa nunca é sua!

Livro discorre sobre assumir responsabilidades

"Não fui eu", "foi ele quem fez primeiro", "você me ensinou assim" e tantas outras desculpas são tema do livro "Não foi culpa minha" (Editora Saberes) que virou best seller na Europa e promete aquietar os ânimos brasileiros também.

A autora Ann Heberlein está convencida de que cada ser humano nasce com uma forma de responsabilidade, mas precisa ser ajudado a se desenvolver como pessoa responsável. Por isso é decisiva a censura, assim como o elogio.

De acordo com a autora sueca, quem recebe elogios se sente orgulhoso e quem é censurado - por si mesmo ou por outros - sente culpa. Ambos os sentimentos dizem algo essencial a respeito do modo como as pessoas veem a si mesmas.

Sendo assim, seria possível existir "falsa" culpa? Sim, É possível. As pessoas sentem culpa por algo que não é digno de censura (deixar as crianças na creche para poder dar conta de seu trabalho, ser atraído por alguém do mesmo sexo) ou por algo que não se tem a possibilidade de influenciar.

Envolvidos com a culpa, estão também a responsabilidade, o respeito (por si mesmo e pelos outros), valores como dignidade, liberdade, "ser ativo" e "ser passivo", direitos, vergonha, ética, valores, princípios, egoísmo, reciprocidade, simpatia e respeito, coragem, perdão e amargura.

Nesse livro, lançado no Brasil pela Saberes Editora, a autora discorre sobre culpa e responsabilidade e suas consequências na vida pessoal e no convívio social de cada indivíduo.

Para enriquecer e fundamentar suas ideias Ann se baseou na teoria de grandes estudiosos, como grande pai da psicanálise, Freud. O livro já pode ser encontrado nas livrarias brasileiras e o preço sugerido é de R$39,00.

Por Jessica Moraes

Comente