Troque a caminhada pela corrida leve

Corrida leve cansa menos que caminhada

Foto/ Divulgação

Estudo recente publicado pelo Daily Mail mostrou que praticar corrida em baixa intensidade é menos cansativo e melhor para os músculos do que andar depressa. O principal motivo é a existência de um músculo da panturrilha que funciona melhor quando corremos a dois metros por segundo. Correr contribui diretamente para a produção de energia.

Pesquisadores americanos analisaram pessoas em esteiras enquanto andavam e corriam e concluíram que esse músculo da panturrilha funciona como um câmbio de carro, ajudando o corpo a mudar de "marcha". Ele segura o tendão de Aquiles fazendo com que o corpo gaste energia para esticá-lo. O tendão, por sua vez, libera energia para ajudar no movimento do pé.

A fisioterapeuta Luciana Costa, coordenadora do curso de Osteopatia da Faculdade Inspirar, afirma que para começar a correr é ideal que durante as primeiras duas semanas o corpo crie resistência ao esforço. "Depois disso a caminhada pode ser mais intensa que o normal. Na 3ª semana já começa o estágio intermediário podendo aumentar o tempo e o ritmo do exercício para 45 minutos.

Comece caminhando por dez minutos e faça cinco minutos de trote. Na quarta semana, a pessoa pode diminuir a frequência da caminhada. O indicado é caminhar por dois minutos e correr três, sempre alternando. Da sexta semana em diante, o ideal é começar com meia hora de caminhada e meia de corrida", explicou.

A fisioterapeuta ressalta sobre os riscos e vantagens de praticar corridas. "A corrida diminui o mau colesterol e estimula a produção do bom, fortalece a massa óssea, protegendo contra a osteoporose, ajuda a controlar o estresse, diminui a ansiedade, melhora a capacidade respiratória e o desempenho nas tarefas e atividades que exigem concentração", relatou.


Utilizando tênis inadequados os riscos são maiores, assim como quando existe excesso de esforço, sem que o praticante repouse entre os treinos. "Os riscos para a saúde também podem aumentar se você praticar a corrida num ritmo muito forte em longos períodos e na frequência máxima dos batimentos cardíacos permitidos. Por isso, a corrida em ritmo leve é adequada para quem quer melhorar sua saúde", completou.

Por Catharina Apolinário

Comente