Treino em circuito: trabalhe o corpo todo!

Treinocircuito

Foto: Hero Images/Hero Images/Corbis

Que tal praticar o treino em circuito, uma modalidade onde você malha o corpo todo sem precisar ficar horas na academia? Febre nos Estados Unidos, o treino em circuito tem agradado aos brasileiros que têm a agenda apertada, mas que não querem abrir mão de manter a forma.

Há alguns dias a academia Bio Ritmo criou um treino especial em circuito, o Bio Funcional. Ele é realizado em grupo e possui quatro etapas: aquecimento, 1º e 2º circuito, intense e finalização, totalizando 45 minutos.

Os exercícios do circuito desenvolvem a agilidade, trabalham o core (músculos que mantêm estabilidade e dão flexibilidade à região lombar) e fortalecem os membros inferiores e superiores. Cada exercício deve ser executado em um minuto e meio em cada uma, com trinta segundos de intervalo para transição.

Parece pouco não é? Mas os resultados são bem positivos. Em vez de o aluno trabalhar uma parte do corpo de cada vez, como acontece nas séries de musculação, ele mescla atividades que movimentam o corpo todo.

"Qualquer pessoa pode fazer a aula, desde que não tenha problemas articulares ou músculo-esqueléticos e seja liberada pelo médico. Os exercícios podem ser adaptados para qualquer grupo de alunos, tornando a aula dinâmica, independente do condicionamento de cada praticante", diz o profissional de educação física da Bio Ritmo, Alessandro Brufato.

Depois de aquecer o corpo para iniciar as atividades, o aluno passa por todo o circuito. No 2º circuito o nível de dificuldade sobe um pouco, mas as atividades são basicamente as mesmas. Com o corpo já habituado, o grupo passa para o intense, cujo foco é elevar ainda mais o gasto energético.

Depois de suar a camisa a finalização consiste em desacelerar o corpo para evitar a fadiga dos músculos. São realizadas atividades que prezam pelo esfriamento da musculatura, estabilização da frequência cardíaca, exercício de soltura e alongamentos estáticos.

Para evitar qualquer tipo de lesão e garantir os resultados da atividade, Alessandro Brufato alerta: "O aluno que pretende fazer o circuito deve sempre executar os movimentos das aulas conforme orientação do professor. Dessa forma, não ocorrerá sobrecarga em articulações e musculatura."


Juliana Falcão (MBPress)

Comente