Surf no asfalto

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Surf no asfalto

Foto/Arquivo Pessoal

Sabe aqueles tubos lindos formados pelas ondas do mar forma e que desafiam os surfistas? Eles já podem ser recriados na cidade! Para provar que isso é bem possível, em 2010, na Califórnia, amantes do surf tiveram a ideia de estender uma lona na rua, para que pudessem deslizar por dentro de um tubo. Assim foi criado o Tarp Surfing.

No mesmo ano, a ideia ganhou seguidores por aqui. "Com a facilidade da internet não demorou muito para que nós do Brasil começássemos com a brincadeira. Tanto é que já lançamos a maior lona de Tarp Surfing do mundo, com 20 metros quadrados", conta Jorge Longo, praticante da modalidade.

O Tarp Surfing deve ser praticado de preferência em locais abertos, como praças publicas, supermercados e estacionamentos de shopping, pois seus praticantes contam com a força do vento para que o tubo esteja perfeito. "Como prancha, usamos o carveboard e o hangboard. Já a lona deve ser reforçada tanto nas laterais quanto no centro, pois o peso do atleta aliado à força do vento faz com que o material seja elevado ao limite", explica Longo.

A grande maioria dos praticantes ainda é composta por homens, porém, as garotas já estão se aproximando. "Sempre que estendemos a lona chega uma menina para ‘entubar’. A vantagem é que, com o jeitinho feminino, elas acabam nem pegando fila (risos)", conta Jorge. Até as crianças já se renderam ao esporte. Segundo Longo, já se vê galerinha entre cinco e dez anos praticando.


A brincadeira que simula o tubo fora do mar passou a ser usada como ferramenta de treino no posicionamento do tubo. É mais um acessório para agradar aos surfistas que vivem na cidade. "Cada modalidade de prancha ajuda de uma maneira: o carveboard ajuda nas rasgadas, o hangboard ajuda no surf clássico de longboard e o skate ajuda com os aéreos.

Longo comenta que uma das vantagens é que no Tarp Surfing o tombo é menos perigoso. "O caldo de uma onda de três ou quatro metros não é pra qualquer um".

Por Juliana Falcão (MBPress)

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente