Osteoporose: atividade física é a solução

osteoporose

Nos últimos anos, a evolução da osteoporose, doença que atinge principalmente mulheres de meia- idade, atingiu índices alarmantes.

A osteoporose nada mais é que a perda dos minerais ósseos, principalmente do cálcio, o que acaba fragilizando o tecido, expondo o osso a fraturas e outras complicações derivadas, que podem ser agravadas. Por isto também é conhecida como a "doença dos ossos".

A desmineralização óssea pode ocorrer em qualquer parte óssea do corpo, porém os locais que têm altos índices e trazem maiores complicações são as regiões da bacia e da coluna vertebral.

O processo é mais acentuado nas mulheres, pelo fato da massa óssea ser menor que a dos homens. Mas os dois sexos estão sujeitos à doença que, normalmente, começa a se manifestar a partir dos trinta anos, como conseqüência natural da perda de minerais ao longo do tempo.

Estudos relacionados com as características genéticas dos indivíduos que possuem osteoporose mostram que as mulheres brancas, pequenas e com pouco peso manifestam a doença com mais incidência dos que as negras, altas e mais pesadas.

Durante a menopausa ocorre a diminuição do hormônio chamado de estrogênio, afetando o metabolismo e alterando o processo da absorção óssea.

Os estudos têm mostrado que a atividade física vem alterando o quadro negativo da causa de osteoporose. Os ossos têm a particularidade de adaptar-se ao estresse mecânico e de cargas, melhorando a mineralização do osso, fortalecendo e suportando os esforços exigidos.

Está comprovado que a atividade física aumenta a massa óssea e os exercícios localizados e específicos são benéficos nas regiões mais propensas à osteoporose.

Oriente-se com seu médico e um professor de educação física para planejar e qualificar seus treinos.

Comente