Os riscos de fazer atividade sem orientação médica

Exercícios físicos sem orientação médica

Foto: Photostock http://goo.gl/2KQGt

Fazer exercícios físicos, seja na academia, em casa ou ao ar livre, faz muito bem à saúde. Mas quando não se tem a devida orientação de um profissional de educação física, os riscos de se ter lesões e até potencializar alguns problemas de saúde são enormes.

E o número de pessoas que decidem largar o sedentarismo por conta própria não é pequeno. Segundo dados de uma pesquisa recente encabeçada pela Secretaria de Estado da Saúde de São Paulo, em parceria com a Celafiscs - Centro de Estudos do Laboratório de Aptidão Física de São Caetano do Sul, um em cada sete paulistas praticam atividade física sem orientação de um profissional especializado.

A professora Alessandra Dianin, da academia Bio Ritmo, alerta que qualquer exercício realizado sem orientação pode acarretar em algum tipo de problema. "Normalmente quem sofre primeiro são as articulações. Sem falar em problemas mais extremos, como cardíacos e de pressão arterial."

Entre os outros problemas enumerados pela professora estão tendinites, dores de cabeça (se a alimentação não for adequada), cansaço excessivo, falta de sono e estresse por conta do overtraining. Para evitar estes e tantos outros problemas, o aluno deve procurar um médico antes de começar as atividades físicas, para que o especialista possa saber o estado físico e as condições de cada um.

"O mínimo que o médico deve fazer é verificar a pressão e os batimentos cardíacos. A partir daí, ele saberá um pouco do perfil do aluno. E numa simples conversa, ele pode ou não pedir mais exames, como colesterol, triglicérides, entre outros. Tudo vai depender da análise do profissional", explica a professora.

Exercícios aeróbicos e musculação precisam de prescrição. Por isso, é obrigação também do professor conversar com o aluno e conhecer bem as necessidades dele. Alessandra explica que o personal, antes de definir as séries de exercícios, deve levar em conta os objetivos do aluno - se ele quer emagrecer, ganhar massa muscular, definir musculatura ou terminar alguma prova de running ou bike.


Quando a atividade é bem orientada, pode inclusive prevenir doenças. "Quem tem distúrbios hormonais, por exemplo, podem procurar um bom profissional e fazer uso de exercícios físicos que ajudem a controlar as consequências deste problema", diz.

Alessandra finaliza dando outras orientações: "O aluno não pode deixar de se aquecer antes de iniciar as atividades e de fazer um trabalho de alongamento/flexibilidade pelo menos uma por semana. Isso vai ajudá-lo a manter a postura e a saúde dos músculos."

Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente