Os benefícios e riscos do alongamento

Os benefícios e riscos do alongamento

Assim como cada parte de nosso corpo, os músculos precisam de manutenção e cuidados. Por isso, atividades físicas regulares são fundamentais para que eles se desenvolvam e adquiram flexibilidade.

Alongar é comumente definido como o ato de flexibilizar os músculos por meio de atividades moderadas. Ele geralmente é indicado antes e depois de exercícios físicos, sejam eles aeróbicos - como a caminhada - ou anaeróbicos - a exemplo da musculação. "O alongamento diminui o risco de lesões e distensões musculares", afirma Gilberto Anauate, chefe de ortopedia do Hospital Santa Paula, em São Paulo.

A professora Fabianna Queiroz dá aulas de ginástica na Contours, academia especial para mulheres, em São Paulo. Ela explica que o alongamento prepara a musculatura para exercícios mais pesados. "Além disso, ajuda a melhorar a postura, dá mais mobilidade e aumenta a agilidade de quem o pratica".

Mas quem tem uma vida sedentária também deve alongar a musculatura, especialmente a região posterior - parte de trás do corpo. "Durante o dia-a-dia, a maioria das pessoas acumula estresse principalmente na região cervical e lombar", observa Fabianna.

Dentre os benefícios dessa atividade, Gilberto cita o "melhor desempenho físico e melhoria na circulação sanguínea". Além disso, traz uma sensação de relaxamento e bem estar. Para o ortopedista, é importante que o alongamento seja feito sob a orientação de um fisioterapeuta ou profissional capacitado, que irá direcionar o aluno ou paciente de acordo com a intenção de cada um - que pode ser prevenir dores em determinada região do corpo, por exemplo. "Dessa forma, cada pessoa saberá qual o tipo de alongamento recomendado para alcançar seus objetivos", fala.

A professora ensina movimentos simples de alongamento, passo a passo:

1º) Sente-se com as pernas estendidas, em postura ereta, encostada ou não na parede

2º) Deixe as pernas paralelas, os pés apontados para cima

3º) Tente alcançar a ponta do pé, mantendo a coluna ereta. Fique na mesma posição por 20 segundos e relaxe.

Uma dica essencial é não forçar a musculatura para alcançar os pés. "Com a prática, todos alcançam os pés, mas cada um tem seu tempo para conseguir esse resultado", ensina Fabianna. Ela sugere que o alongamento não seja confundido com exercícios de flexibilidade, pois ele não deve ser realizado muitas vezes ao dia. "O ideal é alongar antes e depois dos exercícios ou, para quem não pratica exercícios, duas vezes por dia, a hora que a pessoa acorda e logo depois do trabalho, por exemplo". Afinal, os músculos precisam de momentos de descanso. Muitas lesões e acidentes acontecem porque a musculatura foi fatigada.


Tanto o médico quanto a professora informam que o alongamento é indicado para todos, independente de faixa etária ou sexo. "A única recomendação é que o aluno que tem alguma patologia - como osteoporose ou hérnia de disco - procure um médico e concilie o diagnóstico com o trabalho de seu personal trainer ou professor de fitness. Mas, no geral, todos podem praticar alongamentos, só muda o tipo de atividade", diz Fabianna. "Com o devido acompanhamento, até pacientes acamados podem alongar os músculos", finaliza Gilberto.

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente