Nike Fuel: pulseira dá um empurrãozinho para quem quer emagrecer

Nike Fuel pulseira dá um empurrãozinho para quem q

Foto: Divulgação

Atualmente, novas tecnologias têm procurado estimular a prática de exercícios, como a pulseira FuelBand da Nike+. Com acelerômetros, aparelhos que medem os movimentos do braço, ela monitora a pessoa diariamente e possibilita a verificação de metas pré-estabelecidas.

Para isso, é preciso se organizar, definindo objetivos para cada dia (com o fim das 24 horas, a contagem é zerada) por meio de um aplicativo gratuito disponibilizado pela Nike+. Com isso, o usuário acompanha sua evolução através de gráficos no smartphone ou mesmo no computador.

Este progresso também é apresentado na pulseira atrás de luzes de LED. Elas vão mudando gradativamente do vermelho para o amarelo conforme a pessoa for se aproximando de sua meta até chegar ao verde. Inclusive, registra também a quantidade de passos e a perda calórica.

O aparelho usa um sistema de medida criado pela Nike, o Nike Fuel. Segundo a empresa, ele contabiliza toda a movimentação do usuário, sendo feita da mesma forma para todos independentemente do grau de preparo e condicionamento.

"A maior vantagem da pulseira é a possibilidade de armazenar todo exercício físico que a pessoa faz no dia", diz Alessandra Dianin, professora da Academia Bio Ritmo, adicionando que todos podem se beneficiar dela, mas recomenda, sobretudo, para os iniciantes. "Afinal, eles não têm ideia do que fazem ou podem fazer."

Ela acredita que os fatos de medir as atividades e ver o progresso servem como agente estimulante. "Normalmente, os alunos ficam presos só à balança. Com certeza, a pulseira aliada ao APP vai ajudá-los a enxergar a evolução", ressalta a profissional.

No entanto, Vanessa Musskopf, jornalista criadora do blog Santa Dieta, usou a pulseira e não se sentiu estimulada. "A falta de precisão na contagem de calorias me decepcionou. Durante as aulas de spinning, eu gastava tantas calorias quanto nos dias em que corria. Como a FuelBand baseia sua medição apenas nos movimentos do braço, o monitor mostrava que eu havia gastado quase nada em cerca de 60 minutos de pedalada. Decepcionante, né?"

Por isso, ela acredita que o aparelho é válido para se ter uma ideia aproximada das atividades realizadas e fazer as pessoas saírem da zona de conforto. "É uma forma de dar aquele passinho a mais, sabe? Trocar o elevador pela escada, por exemplo. Coisas simples, mas que no final do dia fazem a diferença", diz a blogueira.

Ela acrescenta que também indicaria para praticantes de alguns esportes, como futebol, vôlei, basquete ou artes marciais, que querem ter uma noção do gasto calórico sem precisar usar um frequencímetro com um relógio grande, o que atrapalharia os movimentos ou machucaria o adversário. "Só o frequencímetro cardíaco pode dar uma medida mais confiável da perda de caloria", enfatiza Vanessa.


Já para Alessandra, o desestímulo pode ser causado por um ajuste inadequado da pulseira. "As pessoas podem trabalhar com metas realistas. Se não está atingindo, provavelmente, é necessário fazer um ajuste. Compartilhar a informação com outros usuários também pode ser bem vantajoso, afinal, comparar as metas não alcançadas também pode servir de estímulo", aponta a professora da Academia Bio Ritmo, adicionando que é importante usar e acompanhar o aplicativo.

Enfim, não há uma unanimidade. Cada pessoa vê um tipo de funcionalidade e nível de estímulo da pulseira. Então, só testando para ver se o aparelho se encaixa ao seu perfil!

Por Fernanda Oliveira (MBPress)

Comente