Musculação, treino funcional ou localizada: qual deles emagrece mais?

Saiba qual treino é melhor para quem quer perder peso
funcional-localizada-musculação

Foto - Shutterstock

Às vésperas do verão, época das curvas enxutas, as mulheres tendem a procurar treinos mais potentes e nessa busca, 3 deles se destacam: musculação , treino funcional e ginástica localizada. Mas afinal, qual deles emagrece mais?

De acordo com o educador físico André Trombini - Bodytech Eldorado, todas as atividades acima têm um gasto calórico significante, com destaque para o treinamento funcional, devido à sua variedade constante de intensidade e tipos de exercícios. Essa também é uma atividade multiarticular, pois não trabalha músculos isolados e sim integrados, pensando nos movimentos do corpo.

 “O treino funcional oferece diversos estímulos de força, resistência muscular, resistência cardiorrespiratória e trabalha o corpo como um todo, diferente da musculação tradicional onde os treinos são isolados para um determinado grupo muscular”, conta ele. 

Segundo Trombini, a localizada se assemelha ao funcional, mas utiliza cargas nos movimentos. “Ela oferece um gasto calórico alto. Normalmente essas aulas em circuito têm várias repetições com intervalos curtos. As cargas aumentam a potência, resistência, velocidade e a força, oferecendo after burn (o estímulo de intensidade variada acelera o metabolismo, oferecendo 12 horas ou mais de gasto calórico em descanso). Esse é um dos lucros dessa atividade física”, elogia o educador.

No que diz respeito a lesões, a musculação é a primeira a sair na frente. O educador explica que elas são decorrentes de vários fatores, como falta de consciência corporal e má execução do movimento por causa das faltas de eficiência e paciência. E isso pode acontecer em qualquer um desses três exercícios. 

“No entanto, a maioria dos exercícios da musculação tradicional é feita em equipamentos fixos, sem precisar de tanta consciência corporal. Já o treinamento funcional e a ginástica localizada são realizados com o próprio peso do corpo e com acessórios externos (kettlebell, medball, corda naval, barra, dumbell, etc). Neste cenário o cuidado e atenção são dobrados devido à cultura brasileira de sempre realizar exercícios guiados (musculação em primeiro lugar). O profissional de educação física faz a diferença em montar seu programa e acompanhamento para diminuir riscos”, finaliza Trombini.

Os resultados de cada treino dependem muito do aluno, levando em conta biotipo, força de vontade, frequência às aulas e boa alimentação. No entanto, o treino funcional sai na frente devido à variação constante de exercícios de alta intensidade e curtos descansos, dependendo do treino. 


Por Helena Dias

Comente

Assuntos relacionados: musculação treino funcional