Mitos e verdades sobre a prática da corrida

Mitos e verdades sobre corrida

Foto: Ambro http://goo.gl/RJTCR

Há quem torça o nariz para a corrida, por acreditar que a modalidade prejudica as articulações, devido ao impacto, e ainda favoreça a temida lei da gravidade, fazendo com que o bumbum e os seios caiam mais cedo. Mas segundo um especialista no assunto estas e muitas outras ideas não têm fundamento.

"Durante toda a minha vida profissional eu sempre escuto coisas abordando negativamente a corrida. E chega uma hora em que as mesmas burrices repetidas começam a virar verdades, de tanto que são faladas", lamenta o professor Allan Lucena, especialista em corrida de rua, running class e personal trainner na Academia Unique Family Fitness.

Correr muito bem sim e, como qualquer outro tipo de exercício, precisa ser bem orientado por um especialista e aliado a uma boa dieta indicada por um nutricionista, para que seja feito corretamente a atenda aos anseios do atleta. E para prova que a corrida traz uma série de benefícios, o especialista enumerou e desvendou os mitos mais comuns sobre a modalidade. Confira:

1 - A corrida beneficia o sistema cardiovascular de uma pessoa, ao passo que prejudica seu sistema esquelético

MITO. "A corrida realmente melhora a capacidade do aparelho cardiovascular, mas, ao contrário do que era consenso entre os profissionais da área há alguns anos, a prática não provoca efeitos deletérios no sistema esquelético (considerando o atleta dentro do seu peso e com tênis adequado)", afirma. "Hoje já se sabe que o impacto produzido pela mesma ajuda na deposição de cálcio nos ossos, fortalecendo-os."

2 - Ausência de dor na corrida é sempre sinal de saúde

MITO. O professor usa como exemplo as mortes súbitas. "De um modo geral a frase é verdadeira, mas a possibilidade da predisposição a determinadas doenças requer a visita a um médico antes de iniciar as atividades", esclarece.

3 - Condicionamento em asfalto é o suficiente para todo o tipo de corrida

MITO. Muitos atletas treinam exclusivamente no asfalto e, por isso, estão mais suscetíveis a lesões em corridas de trilhas ou em areia. "Então, sugiro que o atleta corra na esteira, pois há absorção de impacto, correção de postura, trabalho de ritmo e é o melhor lugar para obter evolução com segurança e regenerar dos treinos de rua", diz Allan.

4 - Um dos maiores inimigos do corredor é o impacto repetitivo da corrida

MITO. "O impacto em si não é o problema. Tênis inadequado ou piso irregular é o que farão da repetição dos impactos um potencializador de problemas", afirma o professor.

5 - O ciclismo condiciona o corpo para a corrida

MITO. Allan explica que o condicionamento físico pode ser obtido através de diversos esportes: escalada artificial, natação, ciclismo, corrida, enfim, o esporte de um modo geral, condiciona o organismo, mas o condicionamento específico para um esporte só é obtido com o treino. "Por isso, afirmo que as modalidades se completam!"

6 - É preciso correr todo dia para conseguir um bom condicionamento

MITO. O bom condicionamento é conseguido já com três sessões de treino por semana. "Treinar a mais aumenta a competitividade, mas esse ganho é proporcionalmente menor por dia a mais de treino. O que aumenta de forma proporcional aos dias a mais de treino, no entanto, são as chances de lesão", alerta o professor.

7 - Correr agasalhado ajuda a perder peso

MITO. O professor alerta que isso provoca um aumento perigoso de temperatura no organismo. O que o corredor perde durante essa prática perigosa é água, reposta no primeiro copo de água ingerido.

8 - As cãibras ocorrem por falta de potássio

MITO. Para Allan, as causas da cãibra vão além da falta de potássio. Outros eletrólitos estão envolvidos no processo, assim como o nível de condicionamento do atleta e influências patológicas. "A falta do potássio pode, em alguns casos, ser o motivo, mas a relação não é sempre verdadeira. Muitos técnicos torcem o nariz para a prática, até certo ponto comum, do atleta se encher de bananas na intenção de prevenir cãibras", comenta.

9 - Massagem com pomadas é o melhor remédio logo após uma contusão

MITO. "Nem com, nem sem pomada. A massagem pode agravar o quadro. O indicado é gelo e consulta médico, se for o caso", indica o especialista.

10 - Correr faz cair os seios e o bumbum

MITO. O professor explica que a corrida, por conta do seu impacto, faz com que haja um movimento maior nos seios por ter volume. Mas com o músculo glúteo nem há relação com seu volume, pois é preparado para a marcha e corrida (movimento natural). "No caso dos seios, se incomoda e somente incomoda, existem tops tecnológicos especializados para segurar o movimento e fixar o peitoral. O que faz cair seios e bumbum são a idade, a gravidade e uma alimentação ruim, com o ganho de gordura nessa região também".


11 - Correr perde massa magra

MITO. "Corrida, tênis, bike, local, futebol, jump, enfim, todas essas modalidades e muitas outras, para serem desenvolvidas, trabalham estilos de treino aeróbio, anaeróbio e misto. Logo, não há porque dizer para deixar de correr. Se fosse assim, o certo seria deixar de fazer qualquer modalidade que gere interferência contínua ou intervalada aerobicamente, anaerobicamente ou de forma mista! Fica em casa!", diz Allan.

Juliana Falcão (MBPress)

Comente