Intensidade ou tempo? Saiba qual dos dois é mais eficaz na prática de exercícios

Intensidade ou tempo o que é mais efica

Foto: Mardini/Corbis

Para perder peso ou para ganhar massa corporal, nunca sabemos se o que estamos precisando é de um treino moderado com uma hora de duração ou de um treino intenso de apenas 30 minutos.

Segundo uma pesquisa realizada durante 13 semanas pela Universidade de Copenhague com 60 homens obesos - porém saudáveis - os participantes que fizeram 30 minutos de exercícios diários perderam 3,6 quilos em três meses. Já os que fizeram uma hora de exercícios perderam somente 2,7 quilos.

O professor da academia Fit Premium de Curitiba, Diego Tareszkiewicz, explica que o treino de 30 minutos com alta intensidade é indicado para quem tem boa tolerância a exercícios. No entanto, se a pessoa for treinar cinco dias na semana, não deve ter intensidade nos exercícios todos os dias.

"O ideal, nesse caso, é treinar três vezes na semana em alta intensidade e dois treinos de uma hora, com mais intervalos, menos esforço e priorizando o fortalecimento muscular", orienta.

Ele informa que ambos, tanto o de 30 minutos como os mais regulares como os de uma hora de duração, trazem benefícios em curto prazo. "No treino de uma hora, entretanto, nota-se a diferença após um determinado tempo de prática", diz.

Mas essa não é uma boa escolha para quem deseja ganhar massa corporal. "Para ter um aumento no volume do músculo e um aumento de força, os treinos mais longos são recomendados, pois respeita os intervalos de descanso entre cada série", garante.

Diego também lembra que é sempre importante o trabalho conjunto. Um médico, um educador físico e um nutricionista juntos são capazes de mudar a vida de uma pessoa. Uma nutrição adequada diminui o estresse, a ansiedade e a irritabilidade, além de ter um papel importantíssimo no controle de peso.

"A pessoa apresenta também melhora no rendimento, potencializando o desenvolvimento físico. Quem quer perder peso precisa de uma dieta com restrição calórica, além de ingestão maior de água, para repor as perdas de fluídos ocorridas durante os treinos", conclui Tareszkiewicz.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente