Ginástica passiva não faz milagre

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+
Ginástica passiva não faz milagre

Ter o corpo sarado é o sonho de muita gente. Mas nem todo mundo gosta de passar horas "suando a camisa" numa academia, fazendo caminhada, correndo num parque, andando de bicicleta... Por isso, preferem investir em aparelhos que prometem boa forma sem esforço físico, e praticar a chamada ginástica passiva.

Esses equipamentos funcionam assim: eles promovem um estímulo muscular por meio de correntes elétricas, causando a sensação de formigamento nas pessoas, ocorrendo contrações musculares involuntárias que prometem a queima calorias e tonificam a musculatura.

Uma pessoa sedentária pode até sentir algumas mudanças nos primeiros períodos de treino, mas logo vai perceber que esse efeito é passageiro. "A grande maioria destes aparelhos é eficiente apenas por um curto espaço de tempo, já o estímulo deixa de ser eficiente porque a musculatura se acostuma com o trabalho e não responde mais", explica Regina Bento, educadora física da academia feminina Countors.

Para quem já treina regularmente, esse tipo de ginástica não traz nenhum resultado. "Nesses casos, seria preciso um trabalho consciente, ou seja, estimular a musculatura de maneira que o cérebro receba a informação e responda ao trabalho, resposta essa que não é a mesma dos aparelhos de ginástica passiva", diz a especialista.

A promessa de que esses equipamentos eliminam calorias por si só também é lenda, pois, para que a queima de calorias seja efetiva e traga resultados em redução de gordura corporal. "É preciso que outros fatores sejam ativados, e a maioria desses aparelhos tem uma recomendação diária de apenas 15 minutos de estimulação, o que não altera a frequência cardíaca e nem promove benefícios à saúde de ninguém", afirma Regina.

Além disso, é necessário ter cuidado na hora de utilizar os equipamentos de ginástica passiva, porque, como alerta a educadora, "eles transmitem impulsos elétricos que são conduzidos por meio da água corporal que temos, e usados de maneira errada podem provocar queimaduras na pele".

Portadores de marca-passo ou de doenças cardíacas não devem usar tais aparelhos devido a esses choques elétricos; nos casos mais crônicos de insuficiência renal, a ginástica passiva é contra indicada, por estimular a drenagem linfática.

A prática de exercícios físicos convencionais traz diversas melhorias para o organismo em geral, como redução de gordura corporal, de triglicérides, colesterol, controle de pressão arterial, de estresse, entre outras. Isso tudo não pode ser alcançado apenas com estímulos elétricos.


Então, o melhor caminho para um corpo saudável e bonito ainda é o esforço, como fala Regina, "nada até o momento substitui ou equivale aos resultados e benefícios promovidos pela prática de exercícios físicos". A ginástica passiva pode dar resultado por algum tempo, mas não faz milagre!

Por Priscilla Nery (MBPress)

  • Facebook
  • Pinterest
  • Twitter
  • Google+

Comente