Exercícios também são benéficos ao cérebro

Exercícios são benéficos ao cérebro

É muito comum divulgarem quanto os exercícios físicos fazem bem ao sistema respiratório, cardiovascular e muscular. Porém, é muito difícil ouvir falar sobre os benefícios da prática esportiva para o cérebro, o órgão primordial que controla todas as funções do corpo.

O exercício físico também tem impacto importante sobre o aspecto psicológico, pois provoca sensação de bem estar e prazer reduzindo a ansiedade e depressão, aumentando a disposição para realizar atividades de trabalho, recreativas e esportivas.

Por outro lado, o exercício também exerce influência sobre outros sistemas que não estão diretamente relacionados com sua execução, tais como o sistema imune, o trato gastrintestinal e o sistema nervoso. Nesse sentido, o impacto do exercício físico sobre a função cerebral também vem sendo explorado.

Na última década, estudos têm mostrado os benefícios do exercício físico sobre a função e a saúde cerebrais, particularmente no envelhecimento. A participação em programas de exercício físico tem consistentemente emergido como um indicador chave na melhora da função cognitiva, como também na vascularização cerebral, melhorando o aprendizado e diminuindo a demência.

A manutenção da saúde do cérebro e da sua plasticidade ao longo da vida é um importante problema de saúde pública, havendo crescentes evidências que tanto estímulos ambientais como o exercício físico sejam intervenções cruciais para a qualidade de vida de qualquer sociedade.

Tais intervenções são fundamentais ao longo de toda a vida, mas particularmente cruciais a partir dos 50 anos quando o cérebro passa por uma série de alterações que podem culminar na patogênese de doencas neurodegenerativas como a doença de Alzheimer.

Um conceito interessante relacionado ao status mental é a aptidão mental ou aptidão cerebral, que refere-se ao desempenho cognitivo dos indivíduos. Muitos estudos foram conduzidos em adultos testando os potenciais efeitos benéficos do aumento na aptidão cardiorespiratória sobre a cognição.

Entretanto, foram encontradas poucas informações similares em sujeitos jovens. Recentemente, foi verificado que a aptidão física, especialmente a aptidão cardiorespiratória, parece estar positivamente relacionada com o desempenho escolar (isto é, no raciocínio matemático, na leitura e em todas as outras habilidades) em jovens.

O exercício ainda melhora a memória, o aprendizado e o rendimento escolar, sendo assim, fica evidente que sua prática seja fundamental pelas crianças.


Sabendo dos problemas brasileiros com relação à educação, o aprendizado e os níveis de atividade e aptidão física de nossas crianças, torna-se mais do que necessária a implantação de estratégias que acompanhem e monitorem o crescimento e desenvolvimento cognitivo verificando quais são os principais fatores responsáveis por esse fenômeno.

Para que dessa forma possamos diagnosticar e propor condutas baseadas em conhecimento científico que se apliquem para a melhora do rendimento escolar, qualidade de vida e saúde de nossas crianças

Por Carmem Sanches

Comente