Conheça os benefícios de praticar capoeira

Conheça os benefícios de praticar capoeira

Foto Divulgação

De origem popular brasileira, a capoeira é uma das práticas esportivas que trazem muitos benefícios para o corpo e a mente, já que proporciona grande perda calórica, condicionamento físico, além de equilíbrio e concentração. Uma característica que a distingue da maioria das outras artes marciais é o fato de ser acompanhada por música.

Desenvolvida por escravos africanos e seus descendentes, é caracterizada por golpes e movimentos ágeis e complexos, utilizando os pés, as mãos, a cabeça, os joelhos, cotovelos, elementos ginástico-acrobáticos e golpes desferidos com bastões e facões, estes últimos provenientes do Maculelê, dança diretamente ligada a capoeira pelo uso dos atabaques e do berimbau.

Como atividade física, a prática da capoeira envolve exercícios aeróbicos (que provocam o aumento de frequência cardíaca e queima de gordura) e anaeróbicos (desenvolvimento muscular), proporcionando flexibilidade, força muscular e resistência física. Em uma hora de aula você pode perder até 688 calorias.

O treino regular é fundamental para que o capoeirista consiga ter um bom desempenho durante o jogo, que pode ser feito por pessoas de qualquer idade e condição física, sempre respeitando os limites do corpo de cada pessoa.

A capoeira exige também concentração e observação. O olho no olho é uma das bases do jogo da capoeira. É importante estar sempre atento ao parceiro, procurando onde está o seu olhar, fazendo os movimentos sem perdê-lo de vista.

O diálogo corporal, a improvisação, a inteligência do corpo, a necessidade de agir, o equilíbrio, assim como as noções de espaço, tempo, ritmo e música, e a compreensão da filosofia de jogo são princípios fundamentais ensinados dentro da modalidade.


Outro fato é que capoeira não se faz sozinho, por isso é imprescindível a participação dentro de um grupo. Seu ensino é baseado na oralidade, com os conhecimentos passados através da vivência e prática regular. Isso exige que o indivíduo se molde a um grupo e passe a conviver com as diferenças existentes neste núcleo de pessoas, num exercício de tolerância.

Por Carmem Sanches

Comente