Como melhorar o corpo se a genética não é das melhores?

estetica

Algumas pessoas são beneficiadas por terem uma boa genética (características físicas pré-determinadas do código genético) e conseqüentemente uma boa estética. Outras tentam com muita determinação e treinamento, se aproximar ao máximo do corpo desejado.

Para alcançar este objetivo, fazer atividades físicas e praticar esportes são de essencial importância. A interpretação de estética está relacionada com ordem, harmonia, proporção e adequação do corpo.

Assim, a genética influencia diretamente todas as potencialidades do indivíduo, mas se ela não for das melhores, trabalhar com disciplina, perseverança e conhecimento, pode dar ótimos resultados.

Alguns casos, como os de pessoas que tem os membros superiores menos hipertrofiados do que os superiores, por exemplo, são fáceis de resolver. A musculação neste caso ajuda muito (embora haja maior facilidade de hipertrofia nos membros superiores).

Outros casos, como de pessoas que têm os segmentos corporais assimétricos - membros superiores e inferiores longos e tronco curto - não conseguem eliminar o "problema", mas conseguem ter uma estética mais harmonizada com a prática de exercícios. Estas pessoas geralmente não têm uma boa estética, mas têm facilidade de hipertrofiar e definir a musculatura.

A musculação é, sem dúvida, a melhor atividade para "consertar" esses pequenos. Por exemplo. Um tenista que sobrecarrega muito um dos braços deve fazer musculação para compensar o outro (é lógico que este irá trabalhar os dois lados de acordo com a necessidade de cada lado).

Se você se enquadra em algum dos casos citados, não desanime. Com um trabalho adequado e a orientação de um bom profissional você terá resultados surpreendentes. Insista!

Comente