Atividade física contribui para a saúde mental

Atividade física contribui para a saúde mental

Estudos apontam que a saúde mental também depende da prática regular de exercícios físicos. Eles são responsáveis, entre tantos benefícios, pela redução da depressão, ansiedade e do estresse.

Uma pesquisa publicada no British Journal of Sports Medicine, mostrou que trinta minutos de caminhada em uma esteira rolante, durante dez dias, diminuíram em 25% os índices de depressão em doze pessoas estudadas.

Os pesquisadores enfatizaram as melhoras rápidas provocadas pelo exercício em pacientes com distúrbios depressivos sérios. Segundo eles, tais benefícios não seriam obtidos com tratamentos farmacológicos, que levariam no mínimo quatro semanas para fazerem efeito.

Outro estudo realizado na Universidade da Califórnia, que acompanhou 900 idosos por mais de 11 anos, a prática de atividades físicas promoveu benefícios psicológicos a homens e mulheres sedentários que eram mais susceptíveis à depressão.

Os que interromperam os programas de exercícios ficavam mais propensos a desenvolver a doença. A prática de exercícios ajuda na regulação das substâncias relacionadas ao sistema nervoso, melhora o fluxo de sangue para o cérebro, o que aumenta a autoestima e capacidade de lidar com problemas, influenciando também no humor.

Isso não significa que você é obrigado(a) a fazer corrida ou musculação. Cada corpo tem suas necessidades e limitações. O importante é se exercitar, e não faltam opções leves e para todas as idades.


Exercícios aeróbicos, jogos esportivos, caminhadas, exercícios dentro da água ou exercícios com acompanhamento de músicas. A pessoa interessada em começar a se exercitar deve escolher o tipo de exercício que lhe seja prazeroso e acessível ao seu corpo.

Influenciados pelo modismo, muitas pessoas correm o risco de escolher uma prática física que não combine com seu estilo de vida, e isso pode levar à desmotivação e ao abandono precoce das atividades.

Por Jessica Moraes

Comente