Você sabe a validade dos produtos?

Você sabe a validade dos produtos

Escova de dente. Foto: divulgação/ Oral B.

Muitos produtos não têm a validade estampada na tampa, na parte de trás da embalagem ou no lacre. E, sem saber se continuam úteis, a gente acaba usando mesmo que a eficiência - e até a segurança - tenha diminuído. A ação do tempo e do uso sobre esponjas, óculos, tênis e potes escondem perigos para os quais é preciso estar atento.

Para ajudar você a não correr riscos, o Vila Equilíbrio foi perguntar para alguns fabricantes quanto tempo dura, em média, alguns produtos, como eles podem ser conservados e quais os riscos de usá-los depois que a validade já expirou.

A Assolan, que fabrica lãs de aço, informou que elas têm validade de 36 meses dentro do pacotinho, fechada. Mas depois do primeiro uso, em 24 horas deve ser descartada. Já as esponjas sintéticas têm vida útil de uma semana após o primeiro uso. Depois disso, o risco de contaminação por bactérias é maior. "Com a umidade do produto mais os restos de comida que ficam nas fibras, microorganismos podem se proliferar rapidamente", informa a empresa. Então, para aumentar a vida útil, evita deixá-la molhada ou úmida sobre a pia e tire restos de comida após as lavagens. "Realizar o processo de higienização conforme indicado é um meio simples e eficaz no combate às bactérias, além de não prejudicar a durabilidade do produto, resultando em economia" explica Luiz Felipe Inojosa, gerente de desenvolvimento de negócios da divisão de limpeza doméstica da 3M do Brasil.

Além da esponja que se usa para lavar as panelas, é preciso saber que o sistema antiaderente delas também tem validade, baseada na frequência de utilização e no cuidado, claro. "O uso de produtos abrasivos na lavagem, como saponáceos ou palhas de aço podem remover o antiaderente. Além disso, aquecer demais o produto vazio e esfriá-lo diretamente na água fria também pode ser prejudicial", informa a Tramontina, por meio da assessoria de imprensa.

Ainda na cozinha, outro produto que precisa de cuidado é o filtro de água. A Europa explica que as câmaras de purificação (refis), conforme o modelo, têm vida útil de 3 mil litros ou um ano (o que ocorrer primeiro), ou 6 mil litros ou dois anos (o que ocorrer primeiro). "Há modelos de filtros e purificadores de outros fabricantes nos quais o tempo de substituição pode ser de seis meses (mais comum), um ou dois anos", informam. Se essa data expira, o tratamento da água vai gradualmente perdendo a eficácia até ficar como se fosse bebida direto da torneira. O ideal é sempre seguir as recomendações do fabricante, especificadas no manual do produto, sobre manutenção e limpeza. No caso dos filtros de barro, lembre que a vela (elemento filtrante) jamais deve ser limpa com açúcar ou café, por exemplo. Isso pode aumentar a porosidade da vela e ainda favorecer a proliferação de bactérias.

Na hora de armazenar a comida, também é preciso saber se o pote plástico ainda pode ser utilizado. A Sanremo informou que não há tempo determinado de validade, mas potes de algumas linhas têm garantia diferenciada. Aquecer no micro-ondas com índices de gordura e açúcar elevado pode estragar o pote plástico mais rapidamente, assim como deixá-lo sofrer quedas ou impactos mais fortes quando for tirado do freezer.

[galeria]

Se é preciso cuidar com o que se bebe e onde se guarda o que se come, também é imprescindível cuidar com aquilo que se vê. Lentes de contato, por exemplo, tem validade variada, depois que passam a ser usadas. Todas são descartáveis e, enquanto esportistas precisam de uma por dia, o restante das pessoas pode usar as suas numa variação de 15 a 30 dias. Mesmo com todo o cuidado com higienização, usar mais do que indicado na embalagem pode prejudicar a saúde dos olhos. Se usar a lente em piscina ou sauna, a indicação da Johnson & Johnson é descartá-la.

Já as lentes de óculos de sol não têm uma validade pré-determinada, mas tudo depende do cuidado que se tem. "As ações do tempo, como a corrosão, por exemplo, podem danificar as partes metálicas da haste. Tudo depende de como e onde o produto será usado", afirma Adilson Cezar Caires Lacerda, técnico óptico da Via Lorran. Para prolongar a vida útil desse tipo de produto o ideal é lavar as lentes em água corrente (sem sal) e deixar secar ao natural. "Não use camisetas ou panos não apropriados para limpar as lentes, não use na cabeça e guarde em embalagem apropriada", indica Adilson.

Dos olhos para a boca. Já pensou a quantas anda sua escova de dente? A recomendação dos dentistas é que ela seja trocada a cada três meses, que é o tempo médio que as cerdas demoram até se deformarem. Mas, pode ser que a troca seja necessária antes disso. "Depende da escovação de cada pessoa e pode variar do jeito que escova e da força que aplica", informa a assessoria da OralB. "Quanto mais deformada as cerdas ficam, menos eficiente elas serão na hora da escovação para remoção de substâncias", explica a assessoria da empresa. Segundo uma pesquisa recente, o brasileiro é um dos que mais escova os dentes do mundo, inclusive com grande média de tempo por escovação. Mas a troca de escovas ainda é menor, cerca de uma vez por ano. O ideal seria pelo menos quatro!

Para o bem dos seus ossos e articulações é preciso saber a hora certa de aposentar aquele tênis, mesmo que ele seja um dos seus preferidos. Segundo informou a assessoria de imprensa da Nike, não existe um prazo definitivo de validade para os tênis de corrida. Tudo depende da maneira como se usa, do peso do corredor e até da qualidade do solo. Mas alguns sinais podem ajudar a descobrir se esta na hora de trocar de tênis. Quando ele deixar de ser confortável, significa que não é mais ideal. Além disso, é preciso observar as ruguinhas do tênis. Eles também envelhecem.


Para prolongar a vida útil, o ideal é oferecer descanso ao tênis, de 24 a 48 horas, e escolher o melhor solo, como o de terra batida, por exemplo. Lavar o mínimo possível, com água fria e sabão neutro também ajudam a garantir pisadas mais tranquilas.

Por Sabrina Passos (MBPress)

Comente