Viajar sozinha: malas prontas e pé na estrada

Viajar sozinha

Se a idéia de viajar sozinha parece um pouco "assustadora", saiba que uma viagem bem planejada pode ser muito agradável, mesmo estando em sua própria companhia. Basta apenas tomar alguns cuidados com a segurança e fazer uma boa pesquisa sobre o lugar, pois a responsabilidade de tornar a viagem prazerosa só vai depender de você. Caso seja a sua primeira vez, opte por um lugar que tenha muita curiosidade em conhecer e programe um roteiro bem apertado para ocupar o dia e evitar os momentos de solidão.

Para a escritora, jornalista e especialistas em dilemas do universo feminino Flávia Mariano, a viagem sozinha já é interessante por ser sozinha. "Você vira quase uma atração entre os seus amigos, ‘a corajosa’. Na verdade não há nada de corajoso, há de planejamento. Algumas vantagens da viajante é fazer novas amizades, fortalecer a confiança em si mesma, refletir sobre a vida e fazer o que bem entender durante a viagem".

Flávia Mariano é adepta da pratica de viajar sozinha e já conheceu vários países entre eles o Marrocos, Egito, Jordânia, Kotor em Montenegro, Amsterdam, entre outros. A jornalista já passou por vários sufocos e comenta que a melhor solução é encarar com bom humor as dificuldades. "Passar por sufocos é comum. Em 2010, no Projeto do livro ‘30 em 30’, fiquei dois dias no aeroporto de Bruxelas tentando embarcar para Veneza. Era véspera do Natal e, por causa de nevasca, todos os voos foram cancelados. Dormi no chão, um frio terrível e depois ainda tive que pagar quase € 300 em uma passagem de trem para sair do país", afirma.

Imprevistos acontecem e a viajante precisa estar preparada. Mas não desanime, momentos muito engraçados também acontecem. "A cada dia acontece algo pra gravar na memória. Recentemente, em Buenos Aires, estava no ‘Yellow Bus’ e conheci uma senhora de 80 anos que ficou nada menos que cinco horas conversando comigo e me contando a sua vida inteira", conta Paula Pfeifer, escritora do blog ‘Sweetest Personblog’, onde ela escreve histórias sobre suas viagens.


Paula Pfeifer diz que "viajar sozinha às vezes é bom para quem tem um ritmo mais acelerado e não tem paciência de dividir o seu tempo com os programas e vontades alheios. É bom para relaxar de verdade, se ‘obrigar’ a fazer novos amigos e praticar o idioma local."

E não esqueça: antes de colocar o "pé na estrada", verifique o clima do lugar onde pretende conhecer, leve na mala apenas o necessário, evite passeios noturnos e não se esqueça de um bom livro para leitura. Depois da primeira viagem bem sucedida, certamente você não vai querer mais parar.

Por Stefane Braga (MBPress)

Comente