Vai levar um “bem-estar” hoje?

Uma pesquisa feita pela empresa de consultoria americana Ketchum, com mulheres de 25 a 54 anos, concluiu que sucesso, para elas, é um conceito fortemente associado a bem-estar.

No entanto, menos da metade das entrevistadas considera que dedica suficiente esforço na busca de uma vida mais abundante em “wellness”. Mas, bem que elas tentam. Declaram se interessar muito pelo assunto: lêem bastante a respeito (69%) e sempre encontram tempo para fazer pesquisas sobre saúde e nutrição (71%), por exemplo. Só ainda não chegaram lá.

Ainda bem, já que podemos pensar que é justamente neste hiato (a vida saudável que querem ter x o que conseguem fazer a respeito) que está o celeiro do consumo de “bem-estar”. Até porque, se um dia elas finalmente chegarem ao Nirvana, a última coisa que irão desejar (iluminado que se preze não deseja…) é praticar ioga com modelitos da Stella McCartney.

Por enquanto, o consumo associado a bem-estar, equilíbrio entre corpo e mente, saúde, qualidade de vida e afins, segue em aceleração contínua.

A indústria de wellness é um dos setores que mais cresce na economia mundial. O valor que movimenta (a previsão é que chegue a US$ 1 trilhão até 2010), em breve será páreo para o faturamento das indústrias de automóveis, computadores e medicamentos.

Em supermercados, as seções de produtos orgânicos ganham mais e mais espaço. Academias incorporam pilates, ioga, alongamento e consciência corporal a seus portfólios de modalidades. Sem falar nas novas mega-academias (“espaços”, para usar o termo da moda), quase totalmente voltadas a estas práticas, como o badalado Nirvana, no Rio e o Levitas, em São Paulo.

Alternativa Saúde, do GNT, é uma dos programas mais longevos da TV por assinatura. Clínicas de massagens, spas urbanos, restaurantes naturais, terapias alternativas. Tudo para o “bem”. E há também o crescimento do consumo dos remedinhos tarja preta - as pílulas da felicidade - para aqueles que têm menos tempo e paciência para o processo de “aquisição” de bem-estar.

Para muitas marcas e produtos, o consumo de “bem-estar” definitivamente é um grande negócio. Para nós, consumidores, grande parte do bem-estar almejado talvez possa ser conquistado justamente com a diminuição do desejo de consumir tanto...

Uma a Uma é uma empresa de inteligência de mercado especializada no público feminino. As sócias e colunistas do Vila Mulher, Denise Gallo e Renata Petrovic, ajudam a entender melhor e desvendar as várias faces da mulher contemporânea.Contato: umaauma@umaauma.com.br

Comente