Transforme seu cãozinho em modelo

Transforme seu cãozinho em modelo

Foto/Divulgação/Agência Cão Modelo

Além de amigão dos humanos, os cachorros estão sendo bons companheiros das agências de publicidade, que cada vez mais contam com os bichinhos em suas campanhas com o objetivo de transmitir através da propaganda conceitos de amizade, confiança e alegria.

Em meio a tanta demanda - não só de agências publicitárias, mas também empresas de produtos pet -, surgiu a Cão Modelo, especializada em cães com mais de 1000 modelos em seu casting. E não pense que isso se restringe ao Brasil: a agência tem cães, inclusive, de Portugal.

Criada por Ana Paula Amaral, que já trabalha com fotografia há quinze anos, a agência recebe cerca de 300 e-mails mensais de donos que almejam o estrelato de seus pets.

Ana Paula conta que, em primeiro lugar, nesse mercado é visado o bem-estar do pet: se a campanha exige mais de três horas de trabalhos, três cães da mesma raça se revezam. Mas isso não diminui todo o glamour (e exigências) do trabalho que, assim como acontece com modelos humanos, exige preparação.

[galeria]

Antes de iniciar os afazeres - que variam entre fotos, filmagens, desfiles ou eventos (lançamento de marcas, cujo mascote é um pet) -, o bichinho passa por banho e escovação e, normalmente, não passa disso. Embora no exterior exista maquiagem para cães, a fotógrafa prefere não submeter o cachorro ao processo.

"O máximo que uso quando me pedem muito é uma tinta colorida especial para cães, caso ele já esteja acostumado. Mas não sou muito a favor, acho que um cachorro com banho tomado e escovado funciona muito bem. Se precisarem fazer algum truque especifico, são treinados dias antes do trabalho", explica Ana Paula.

Entre as raças mais requisitadas, o Golden Retriever é o preferido. "O perfil que sempre pedem são cães que passam a imagem de felicidade. Quando querem um cão para uma família, sempre pedem essa raça", relata Ana Paula. Além da Golden, beagle, labrador, jack russel terrier, bulldog inglês e francês e tipos raros também estrelam.

Mas não pense que só cães "nobres" têm lugar. Os chamados SRD (sem raça definida), mais conhecidos como vira-latas, também podem achar seu lugarzinho ao sol. A criadora da agência explica: Lancelot, o beagle adotado por Ana (e que deu origem ao negócio), veio de um abrigo para cães. Então, além de doações para ONGs de proteção animal, ela seleciona cachorros SRD dessas organizações para desfiles e campanhas publicitárias.

Para fazer parte do casting, o cachorro deve ter características específicas. "Ele precisa ser dócil e sociável com outras pessoas e cães, também ser bem tratado e ter os pelos bonitos. Além disso não estar acima do peso, ser de raça ou vira-lata e, de preferência, que saiba os comandos básicos (sentar, ficar, junto)".

Ana Paula explica como o dono pode proceder para que seu animalzinho entre para sua equipe: "Para entrar no casting, tem que mandar uma foto de rosto e uma de corpo. Depois dessa primeira etapa, marco uma avaliação fotográfica, para ver o comportamento do cão junto a uma equipe, câmeras etc. Se ele for dócil e obedecer aos comandos básicos, fará parte do casting".


Tudo isso, claro, é um ótimo negócio para o dono do pet, que pode ganhar de R$ 100 a R$ 1000 por trabalho de seu cão. "E pode ser mais, dependendo dos dias de gravação", segundo Ana Paula. Isso sim é melhor amigo!

Por Ana Paula de Araujo (MBPress)

Comente

Assuntos relacionados: cães animais de estimação bem estar