Termalismo e turismo no Brasil

Termalismo e turismo no Brasil

Terme Sensoriali. Foto: divulgação

Você já ouviu falar em termalismo? De acordo com esse conceito, algumas águas podem ser usadas em terapias e tratamentos para certos males que acontecem sobre o nosso corpo. Pesquisas indicam que banhos de imersão já eram realizados por povos antigos - como etruscos e romanos - em alguns locais da Europa.

Mas o conceito em si vem mudando ao longo dos anos. Apesar de alguns especialistas ainda duvidarem de certos benefícios proporcionados pelas chamadas águas termais - geralmente encontradas em termas (piscinas de águas quentes), ricas em componentes como ferro ou enxofre -, a maioria concorda que elas possam ser usadas como auxiliares no tratamento de doenças.

"Apesar de estudos bastante embasados, o termalismo deve ser indicado como valor agregado ao tratamento convencional e, entendendo as contra indicações, pode proporcionar bastante bem-estar ao paciente", diz Maurício Garcia, coordenador do Setor de Fisioterapia do Instituto Cohen de Ortopedia, Reabilitação e Medicina do Esporte e fisioterapeuta do Centro de Traumatologia do Esporte da Unifesp.

Segundo o médico, vários pacientes podem se beneficiar da terapia das águas, especialmente para que se sintam mais confortáveis. "As indicações do termalismo são relacionadas nos tratamentos que auxiliem principalmente a questão da circulação, alteração de temperatura corpórea, problemas articulares - tanto artrites como reumatismo - e buscando um relaxamento muscular, além de efeitos pós terapia."

O Brasil possui várias fontes termais em cidades como Poços de Caldas (MG), Águas de São Pedro (SP) e Rio Quente (GO). Porém, ao contrário de países como a Itália - em que é mais comum o investimento nesse tipo de fonte -, nosso potencial ainda é pouco conhecido e aproveitado, segundo o diretor da ICCABAV / ABAV (Associação Brasileira de Agências de Viagens), Antonio Azevedo: "O Brasil tem um potencial bem representativo de turismo termal, mas em grande parte ainda mal explorado e muitas vezes defasado".

Para o diretor, investir no setor termal pode ser interessante para nosso país, por ser um segmento turístico de qualidade e com um gasto médio alto, o que traria desenvolvimento aos locais onde se concentram as águas termais, além de exigir mão-de-obra especializada - fator que poderia incentivar as populações locais a estudar e conhecer melhor o assunto.

Entre os dias 13 e 19 de junho, empresários brasileiros estiveram na região italiana da Toscana, por meio do programa "Benchmarking 2010 - Excelência em Turismo, aprendendo com as melhores práticas internacionais", executado pela ABAV em parceria com o SEBRAE, EMBRATUR e Ministério do Turismo. O objetivo foi a observação dessa região da Itália, tradicionalmente conhecida pelo turismo focado na visita às fontes termais. E, depois essa viagem, parece que vem novidade no setor termal no Brasil.

Termalismo e turismo no Brasil

Terme Sensoriali - Aroma ambiente. Foto: divulgação

Isso por causa de uma mudança no setor termal no mundo. A característica principal do termalismo italiano, por exemplo, num passado recente, era a utilização para a cura de doenças. "Com os avanços da medicina e da tecnologia farmacêutica, este foco curativo está sendo substituído pela busca de saúde e bem estar e esta é a grande mudança de perfil", observa Antonio. "Na verdade, esta mudança não ocorre só na Itália e é praticamente obrigatória para quem quiser permanecer no mercado, incluindo-se aí os estabelecimentos termais do Brasil", completa.


Agora, o jeito é esperar para conferir as atualizações e novos investimentos no setor. Por enquanto, que tal conhecer algumas fontes termais brasileiras? Você pode se surpreender. Só não se esqueça de consultar um especialista, pois, como as águas são ricas em certas substâncias, é importante que seu organismo seja avaliado para que você não tenha problemas nem excesso de nutrientes em seu corpo. Assim, você aproveita só os benefícios das águas termais.

Por Priscilla Nery (MBPress)

Comente