Superstições e a Copa do Mundo

Superstições e a Copa do Mundo

Foto: arquivo MBPress

A superstição e a paixão pelo futebol caminham juntas. Afinal de contas, quem é fanático acha que ‘apenas torcer’ é muito pouco, então vale tentar dar mais uma forcinha.

A advogada Mariane Vasconcelos, adora futebol e apesar de torcer muito para o Corinthians, seu time do coração, é na Copa do Mundo que ela sofre mesmo ao assistir os jogos. Mariane conta que não abre mão de assistir com os amigos, mas que impõe algumas regras. "Se eu uso uma camisa no primeiro jogo e o Brasil ganha, uso em todos até o final. Agora, se perde ou empata não uso nunca mais. Além disso, se assistimos em um bar e o time ganha, vamos nesse bar até o último jogo também".

Mas e se não der para seguir as ‘manias’? "Essa possibilidade não existe, faço tudo para seguir", diverte-se.

O despachante Luiz Rodrigues é ainda mais rígido, podemos chamar assim, com quem assiste aos jogos com ele. Ele só assiste em casa, mas gosta de famílias e amigos junto com ele para engrossar a torcida, o problema é que ele exige que todas algumas regrinhas. "Se a gente ganhou o primeiro jogo, quero que as mesmas pessoas estejam nos próximos, sem nenhum convidado a mais ou a menos. Vai que chega algum pé-frio ou então que o pé-quente falte? E de preferência que eles sentem nos mesmos lugares, isso já fica um pouco mais complicado, mas não custam tentar, né?", conta rindo.

Mas não são só os torcedores que tem superstições, os próprios jogadores seguem alguns pequenos rituais. Em entrevista a agência de notícias francesa France Presse algumas estrelas contaram o que costumam fazer. O zagueiro inglês John Terry tem uma crença parecida com de Luiz, é que ele costuma sentar sempre no mesmo lugar do ônibus a caminho do estádio e também escuta sempre o mesmo CD. Mesmo em tempos de Ipod, ele não larga a mania antiga!

O volante argentino Juan Sebastián Verón contou na entrevista que desde 1997, quando lesionou a coxa, prende uma fita em volta da perna. Outro argentino, o goleiro da Copa de 1990, Sergio Goycochea urinava no gramado antes das disputas por pênaltis. Eca! E ele acredita que a mania ajudou a levar a Argentina à final daquele Mundial. Esses argentinos tem cada mania estranha, né?


E você, tem alguma superstição? Conte para a gente!

Por Larissa Alvarez

Comente