Super mulher

Super mulher

Foto: Divulgação

Acordar cedinho, escolher a roupa certa para não fazer feio no trabalho, preparar o café da manhã dos filhos, pegar o trânsito até o trabalho (ouvindo rádio para acompanhar as notícias e ficar bem atualizada), bater a meta da empresa, sair do trabalho a tempo de pegar as crianças na escola, chegar em casa, tomar um banho rápido, ajudar os filhos no dever de casa enquanto prepara um jantarzinho básico, colocar as crianças na cama e curtir o maridão antes de dar o dia por encerrado.

Ufa... Esse é mais ou menos o perfil da tal mulher moderna tão esperada pela sociedade.

Mas quando essa mulher para um minuto para pensar, o que ela espera de si mesma? Quem nos incentiva a pensar dessa maneira é Branca Barão, especialista em comportamento humano e autora do livro "8 ou 80 - seu melhor amigo e seu pior inimigo moram aí, dentro de você!"

"Vivemos em uma fase com tamanha liberdade feminina, e com essa liberdade vem também a autocobrança", diz. Uma parcela do publico feminino quer ser "a mulher de antigamente", cuidando bem da família, da casa e dos filhos. E a outra parcela quer ser a "mulher moderna", tendo uma carreira brilhante, se tornando líder e contribuindo significativamente para o orçamento doméstico. "A questão é justamente saber juntar as duas coisas e escolher um caminho em que ela mesma não seja punida por querer tanto da vida."

Para não se perder em meio a tantas tarefas, a dica é fazer uma agenda priorizando o que realmente é importante e possível. Não adianta querer abraçar o mundo, porque bem antes do dia acabar seu nível de estresse vai alcançar as estrelas. Separe tudo em tópicos (família, social, trabalho) e, por favor, reserve um espacinho para você!

"Não dá para nos responsabilizarmos por mais nada se não estivermos ‘em dia’ com a gente. Abrir mão da academia, do livro que você está doida para ler, ou até mesmo daquela horinha semanal mágica na academia não lhe tornará a mulher maravilha. Ao contrário, lhe deixará ainda mais desanimada com a sua rotina", acredita Branca. "Quando nos sentimos egoístas por cuidarmos de nós, passamos nervoso assistindo àquela aula que queríamos tanto fazer, ficamos aflitas na cadeira do cabeleireiro e não nos concentramos no filme, quando finalmente conseguimos ir ao cinema. Isso gera ainda mais estresse", completa.

Na hora de escolher duas prioridades da mulher hoje, Branca não titubeia e dispara: crescimento e realização. Crescimento diz respeito ao aprendizado (fazer um curso, ler um livro, estudar por conta própria, fazer pesquisas de seus temas de interesse, escrever um blog). E a realização não é só na profissão não, viu? "Falo também de encontrar um parceiro com o qual ela queira dividir sua vida, de ter filhos ou não, de viajar ou não. Tudo depende dos sonhos e desejos de cada mulher".

E quer mais um conselho: pratique o autoconhecimento. Uma boa e longa olhada no espelho será capaz de ajudar você a reconhecer o que realmente importa em cada momento de sua vida. "Dessa forma você saberá a melhor forma de dividir seu tempo, deixando espaço para o que é importante e abrindo mão daquilo que não é mais. E não desistirá de correr atrás dos próprios sonhos, mesmo com a rotina engolindo uma boa parte do seu tempo", finaliza Branca.


Por Juliana Falcão (MBPress)

Comente