Será que vai dar tempo?

"Mais uma vez o tempo me assusta. Passa afobado pelo meu dia. Atropela minha hora. Despreza minha agenda."

Esses versos, da poetisa Flora Figueiredo, são parte de seu poema "Última página". Relendo-o nesta semana, me fez pensar muito sobre esse tema que tanto nos assusta: como driblar a velocidade do tempo. Quantas e quantas vezes já nos fizemos essa pergunta: será que vai dar tempo? Tempo para passear, tempo para pegar filho na escola, tempo para namorar, tempo para entregar aquele trabalho, tempo para qualquer coisa!

Todos os anos que se iniciam, tenho certeza de que muitas de nós prometemos a nós mesmas que vamos dar um jeito de controlar o nosso tempo. Às segundas feiras então, é o dia de reprogramar o tempo da gente em busca de minutos preciosos. Lembra um pouco as dietas, a cada novo ciclo fazemos uma nova promessa de dieta e de tempo.

Será que há um jeito de pensarmos em nossas vidas, com nossos múltiplos afazeres, com os mil e um pratinhos que carregamos dentro e fora de casa, de melhorar nossa relação com o tempo? As estratégias que penso são infinitas, mas a dificuldade mesmo é colocar, pelo menos uma delas, em prática.


Está lançado o desafio para todas nós: buscar estratégias para não mais começar as semanas e dias em débito com o tempo. Vamos sair do vermelho!

Cecília Russo Troiano é psicóloga, sócia-diretora da Troiano Consultoria de Marca e autora do livro "Vida de Equilibrista". Casada e mãe de 2 filhos, ela afirma que é mãe equilibrista, vive sua vida tentando equilibrar "pratinhos". Email - cecilia@troiano.com.br / Venda do livro pelo site www.vidadeequilibrista.com.br

Comente